TALISMÃ

POR FRANCISCO MARENGO


 

Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei

 

Que este ensaio se transforme num pequeno talismã, como guia de modificação de conduta comum de nossos buscadores, a serem transmutadas para a conduta de verdadeiros magistas, portanto,  podendo esperar certa aspereza ou rispidez de minha parte, mas que não tomem aqui nada como pessoal, pois serão apenas alertas para que se livrem das mais diversas situações que os atormentam na Senda Oculta. Aprendam a ler nas entrelinhas.

Enquanto, os irmãos buscadores não se sentirem modificados na Senda muito pouco poderemos fazer. Lembro também que nós como magistas thelêmicos já estamos livres de dois dos principais e mais destrutivos sentimentos que o ser humano pode nutrir por alguém ou por si próprio, a "compaixão" e a "autopiedade egóica".

Por outro lado o processo que pretendemos desencadear em você é o da autocura espiritual, pois já cansei de mencionar em meus ensaios que não curamos absolutamente ninguém, ao contrário disto, tentamos ensinar as pessoas a se curarem. Mas existem as perguntas primárias, que faremos a todos os irmãos na Senda com o testemunho de suas consciências e que precisam ser respondidas com o coração, conforme seguem:

1) Você quer se ver livre dos males que acometem seu corpo físico?

2) Está disposto(a) a assimilar novos princípios, mesmo que estes venham contra seus conceitos e preconceitos tolos balizado em teorias inúteis e capengas, que tem envergado por todos esses anos?

3) Está disposto(a) a confiar decisivamente em nós, como quem desinteressadamente quer ajudar?

Bom aí estão as perguntas, começo então lembrando a você agora, a máxima do sábio alemão chamado Leipzig e sua lei:
"Os fatores mínimos são determinantes dos máximos".

Você pode sentir-se revoltado quando percebe que causou um mal ou uma doença a si mesmo e o que seria mais do que normal depois que aprontou consigo mesmo, não querer pagar o preço de sua própria insensatez.

Mas daí eu pergunto: Revolta com o que? Por saber que o ser humano é um egoísta só entende que a vida deva ser plena de uma certeza: "De que vai morrer um dia?" Eu digo egoísta, porque em sua maioria ele se preocupa com o seu mundinho, e tenta tirar proveito do mesmo, pisando, espezinhando, a troco de conseguir algumas quirelas e migalhas que lhe darão uma satisfação fútil e passageira, e um futuro desesperador que vem junto com a velhice, pois ele saberá nada fez para ninguém, nem mesmo para si, que pudesse ser considerado como algo digno de nota, ou de valor verdadeiramente real - ou seja, ter atingido os verdadeiros bens do espírito.

Para que para que a Assunção ocorra, o ser humano precisa matar algo dentro de si, óbvio eu me referir aqui ao ego material e existencial de uma única vida, e que tem tanto valor quanto um grão de areia no deserto. O que é o tempo de uma vida ante a imensidão do universo? Quanto valor nós damos a essas nossas vidas, e quão pouco valor nós damos as realidades eternas presentes na imensidão do Cosmos.

O ser humano está sozinho nos momentos mais importantes de sua vida. Nascimento e morte. Sua mãe não é sua companhia, ela é o meio kármico que lhe possibilitou sua chegada, ela interagirá conosco, e deveríamos amá-la com o amor de ágape, pois ela é o instrumento que nos deu ou possibilitou a vida. A mãe, a mulher é a força geradora de vida. Ainda tens dúvida quanto ao poder do ser humano em se autocurar?

Digo-lhe que se decidir pelo meu caminho, quando você estiver na beira do abismo estarei lá para empurrá-lo, e quando resolver estender a mão para sair dele, eu serei o primeiro a ampará-lo. Pois bem, se você já foi empurrado para o abismo de seu ser, decida-se agora quando deseja sair dele, mas aproveite os momentos e os aprendizados enquanto aí estiver vivendo suas ordálias, na escuridão de sua alma e de seus sentidos, como o doce prenúncio do Sol que antecederá a sua iluminação interior. 

Você é nada mais nada menos, do que um reflexo externo de Adonai, que criou para si mesmo. E para se compreender então precisa fazer o caminho de volta a Ele. Compreendes agora? Esse caminho é o caminho Iniciático, o caminho da Assunção que te colocará em contato com tua essência primal ou Adonai.

Repito, não poderei ajudá-lo enquanto não aprender a se ajudar, enquanto vier até mim com o balde cheio de água que você preencheu por todos esses anos, e que por fim quando pode verificar o quão turva  está essa água.

O fundo do poço não é um caminho e nem mesmo o abismo, é apenas uma válvula de escape, para termos a certeza de nossas tolas idéias preconcebidas de nós mesmos.

Racionalidade, Razão é igual à concepção de mundo. Concepção esta, que atordoa o seu ser, porque você sempre está a procura de algo mais, só que não sabe o que!

Para que o seu Daemon te ajude, você precisará colocá-lo sob sua Verdadeira Vontade. Ele é um ser, uma entidade extrafísica, ou daemon, ou um elemental, ou um ser espiritual pleno, que é ligado a você por laços de afinidade Kármica. 

Ele é um dos seus espíritos familiares, e você precisa como magista aprender a exercer a sua Vontade com relação a ele, para que você tenha uma convivência pacífica com ele. Ele é apenas um mero coadjuvante nessa grande trama, que é a existência cósmica. Ele é um guardião de almas desesperançosas que vivem em sua própria miséria e penumbra. De certa forma, o  Daemon é um ser que existe para garantir que essas pessoas exerçam suas vontades, mesmo que essas vontades as tenham conduzido para o abismo de suas existências.

Veja que, cada um cria o seu céu ou seu inferno para si. Não creio que pessoas estejam vivendo nos umbrais de sua mente para lá serem subjugadas por esse ser. Ao contrário disso, estão lá porque impregnaram o seu ser astral com pensamentos tais, que nesse plano extrafísico estão simplesmente vivendo aquilo que escolheram para si mesmas, ou seja, a escravidão e a miséria das suas próprias existências. Percebeu agora?

Amor é a lei, amor sob vontade.