STIMULATOR SACRATOR

Síntese da entrevista concedida por F. Magister ao programa esotérico Astral em Alta

para TV Libertas - MG em 02/2004

(Parte 01)

" Tendo criado o Universo com um Fragmento de Mim mesmo, Eu permaneço." (Bhagavad Gita)

 


 

Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei 

Repórter: O que é ser um aspirante ao Sagrado? Qual o real significado para novos membros que adentram aos portais Sagrados da Ordem que administra? E o que significa pertencer a classe minerval?

FM: Bom, comecemos pelos atributos da Deusa Minerva. Deusa guerreira, ela não vence seus inimigos pela força bruta, mas pelos ardis que inventa, pela astúcia e pela inteligência de seus estratagemas. Minerva tem a face feminina e a masculina: embora mulher, é uma deusa virgem que defende o poder masculino. É a senhora das técnicas, da racionalidade instrumental, a criadora das saídas de engenhosidade. Deusa guerreira, da sabedoria, das atividades práticas, mas também do trabalho artesanal, do espírito criativo e da vida especulativa, ela reúne aspectos fundamentais à formação da engenhosidade humana. assim o aspirante ao Sagrado deveria sintetizar em si os próprios atributos da Deusa Minerva,  que por sua vez sintetiza duas dimensões do trabalho do aspirante a Grande Obra: a criação, por um lado, e a execução, por outro. Ela reformula em si só o velho axioma hermético: "Solve et Coagula" ou "Dissolve e Reforma" através dos Ritos Sagrados.

Repórter: Mas o que dissolve e o que pode ser reformado ou reconstituído no ser humano ou no aspirante?

FM: O Ego pessoal, pois este sendo o único e real ser que nossa personalidade tão fielmente se envolveu, agarrou, defendeu e serviu. Entretanto o Ego dessa nossa única existência não passa de uma máscara que encobre o verdadeiro ser envolto pela Alma Imortal. Por isso um dos atributos do Mago é o diálogo com o seu Sagrado Anjo Guardião que corresponde ao seu verdadeiro Eu Sagrado. Somos deuses e toda a matéria não é nada mais do que uma ínfima expressão, até mesmo imperfeita de um modo de vida superior. Na Qabalah estamos em Malkuth o reino da Terra, portanto quando eu digo imperfeita, me refiro as realidades contidas por trás das aparências, daquilo que ainda não percebemos em virtude de sua sutileza.

Repórter: Tal situação que menciona como esse relacionamento com o Anjo da Guarda, não seria em partes uma alegoria ou criação da nossa imaginação?

FM: Uma mente Imaginativa é uma Mente Poderosa! A mente imaginativa abre canais por onde o concreto se torna palpável. Você pode criar inúmeras imagens mentais em sua cabeça, por exemplo de pássaros voando, ou de um dia movimentado numa avenida de uma cidade grande, entretanto verá que tais imagens perdem o seu controle pois passam a ter vida própria, de repente vai se tornar difícil precisar o número de pássaros voando, ou os tipos de carros ou até pessoas transitando em sua criação mental, ou seja, o pensamento passa a ter forma. No caso do chamado SAG ou Sagrado Anjo Guardião o mesmo pode ser compreendido como a melhor parte nós mesmos, pois é esta parte que mantém o elo de ligação com as formas ascencionadas ou divinas.

Repórter: Por que dizem na sua doutrina que segue algo como Deus é Homem ou o Homem é Deus. Vocês não acreditam em Deus?

FM: Conforme disse acima com outras palavras a Alma Humana é parte de um universo maior e é ela própria uma réplica desse universo. Em Magia dizemos que ele é o Microcosmo dentro do Macrocosmo. Não existe para o mago a chamada matéria morta num sentido vitoriano, porque em sua visão ele já subsiste como parte da vida eterna, e que tudo que é material pode existir no tempo e no espaço. Se vemos aqui a lâmina de metal de nossa espada, o que para o vulgo é apenas um pedaço de metal ou de matéria morta, para o mago este metal de aparência material será um conjunto de energias saindo dos diversos planos invisíveis para se integrar num último plano. Nas Escrituras Sagradas é dito: "O Espírito do Senhor a tudo preenche"; assim para o mago nada é vulgar ou sujo pois tudo servirá um propósito como expressão de vida daquilo que é eterno. Assim é dito nos Rituais Sagrados: "Não há parte de mim que não seja de Deus ou dos Deuses".

Repórter: Bom, falamos de Deus e quanto aos Deuses o que eles representam no seu contexto filosófico?

FM: A visão de um adepto do significado do que seriam os Deuses não seria algo tão ortodoxo como se poderia esperar. Assim poderíamos dizer que os Deuses quanto cultuados por um grupo acabam por encontrar tanto no universo visível como no invisível um campo de poder onde diversas forças interagem, sendo estes aspectos integrantes do supremo, e nessas energias e forças cintilantes e dançantes, eles vêem a unidade de uma vida, filhos de Deus, que evoluíram em universos precedentes e que, agindo como canais perfeitos para o supremo poder, são como lentes de aumentam que transformam e ampliam a luz e o calor do Sol que é emanado de cima para baixo. Tudo que vemos no plano material é apenas substância formadas por qualidades secundárias daquilo que chamamos de universo "real". Assim dizia o Sábio Grego: "Sou criança da Terra, mas minha raça veio das estrelas".

Repórter: Seria a meta do ser humano de se transformar em deuses? Isto não seria um tanto utópico?

FM: Na entrada do Templo do Oráculo de Delfos está a inscrição: " Conhece a ti mesmo". Mirando no seu interior o mago contempla o plano primal sobre o qual a natureza humana foi formada, olha ao seu redor e vê um mundo decaído, mas mesmo assim consegue enxergar nesse mesmo mundo, o universo como suprema harmonia e beleza, assim com esta luz, ele percebe o ideal no qual seu verdadeiro ser está fundamentado e por onde se sustentará em sua busca. Pois é em meios as quedas, é que existirão os obstáculos ou ordálias do retorno mediante o sacrifício ou Sagrado Ofício em miríades de vida.

Obs: (na parte que se segue falaremos dos princípios do mal e da ética na magia)

Amor é a lei, amor sob vontade.