A Sabedoria da Qabalah

                                                  Sóror Fortuna

 


A  Qabalah ensina um método prático para compreender o "Mundo Superior" e a fonte da nossa existência. Através deste método o homem alcança a perfeição e  tem o controle de sua vida nas próprias mãos, transcende os limites do tempo e do espaço. Alcança os objetivos de sua vida e alcança a serenidade e paz de espírito sem limites ainda nesta vida.

Muitos de nós vivemos com certas perguntas na cabeça:

Quem sou e porque existo?

Para onde vou e porque estou aqui?

Voltarei a este mundo?

Qual o verdadeiro motivo de todas estas coisas que acontecem na minha vida?

Será que posso mesmo me integrar ao universo?

Porque sofremos?

Posso alcançar a felicidade?

Como alcançar a plenitude na vida?

A única resposta para estas perguntas é reconhecer e ter consciência que o "mundo superior" está cheio  de prazeres. A sabedoria da  Qabalah é um meio que permite o ser humano penetrar  com todos os seus sentidos no Mundo Superior que é o mundo das causas de tudo o que acontece aqui.

Desta maneira o ser humano toma o controle de sua vida em suas próprias mãos, satisfazendo  ao mesmo tempo o objetivo da Criação, que é o sentido de sua vida, a serenidade, a alegria sem limites e sem fim, tudo isto vivendo ainda neste mundo.

A Cabala ensina a conexão causa-efeito com nossas fontes espirituais.

Estas fontes se conectam segundo regras constantes e absolutas que apontam a um objetivo superior - compreender ao Criador através de todas as suas criações existentes neste mundo.

Segundo a Qabalah, tanto a humanidade como um todo, como cada indivíduo em particular devem alcançar um objetivo principal: "compreender a meta e o programa da criação em sua totalidade."

Em todos os tempos temos noticias de pessoas que por meio de constante trabalho sobre si mesmas conseguiram elevar-se a um certo nível espiritual.

Todos os objetos materiais desde o micro ao macrocosmos e suas ações estão controladas por forças espirituais que permeiam todo o nosso universo.

Consideremos  por exemplo o organismo mais pequeno, cujo o único objetivo consiste em manter sua existência durante o tempo necessário para procriar a próxima geração. Quantas forças e sistemas complexos funcionam no dito organismo?! E quantos destes sistemas passam despercebidos ao olhar do ser humano e sua limitada experiências? Se multiplicamos essas forças pelo vasto numero de criaturas viventes que provaram e provam o Universo e os mundos espirituais, teremos apenas uma idéia vaga e remota dos laços e forças que nos controlam.

Podemos imaginar esta grande variedade de forças como dois sistemas iguais e interconectados. A única diferença é que o primeiro sistema provem do Criador baixando através dos mundos até alcançar o nosso. O Segundo surge no nosso mundo, ascendendo segundo as regras até alcançar o primeiro sistema.

É óbvio que para alcançar o primeiro sistema deve-se atuar segundo as leis do primeiro sistema que é exatamente o que estuda a Qabalah.

No mundo espiritual o principal fator de descobrimento é a pureza de espírito, pensamento e desejo.

No mundo Material existem muitas forças e fenômenos que não percebemos diretamente, por exemplo as ondas magnéticas.

O efeito de suas ações e seus nomes são familiares até para as crianças. Ainda que nosso conhecimento sobre a eletricidade seja limitado, aprendemos a usar este fenômeno para satisfazer nossas necessidades. Os nomeamos com tanta facilidade como o pão o açúcar.

De igual modo todos os nomes da Qabalah parecem dar uma noção real (material) de um objeto espiritual. Mas se refletimos  sobre isso, veremos que não apenas do objeto espiritual não temos idéia, não temos idéia do próprio criador, assim como não temos idéia real de nenhum objeto, nem sequer dos que tocamos com as próprias mãos.

A verdade é que não percebemos o objeto em si mesmo, e sim nossa reação e suas ações e influências.  Estas reações nos dão o que parece ser conhecimento, ainda que o objeto em si mesmo permanece oculto. Mais ainda: Não podemos nem sequer compreender a nós mesmos!

A ciência como instrumento de investigação sobre o mundo se divide em duas partes: O estudo da propriedade da matéria e o estudo de sua forma. Ou seja: Não existe nada no Universo que não se componha de matéria e forma.

A parte da ciência que estuda a matéria se baseia em experimentos. Sobre a base destes experimentos científicos se extraem conclusões.

Mas a parte da ciência que estuda as formas sem conexão com a matéria, em particular aquelas formas que nunca estiveram ligadas com a matéria (por exemplo: O ideal da Revolução Francesa...) não pode basear-se em experimentos. Isto é assim porque no nosso mundo não existe nada que seja forma sem matéria.

A separação entre matéria e forma só é possível na nossa imaginação.

Portanto nossas conclusões neste caso se baseiam sobre teorias. O campo inteiro da mais elevada Filosofia pertence a esta categoria da ciência e a humanidade muitas vezes tem padecido a causa de suas infundadas conclusões.

Ao explorar o mundo espiritual o próprio ser humano descobre que na realidade seus próprios sentimentos são apenas desejos de "cima" para que se sinta desta maneira. Sente como um objeto separado e não como parte do Criador, enquanto que todo o mundo ao redor é apenas uma ilusão da ação de forças espirituais sobre nós. São apenas nossos sentimentos que criam a imagem de nossas circunstâncias.  

A Qabalah como ciência do mundo também se divide no estudo da matéria  e da forma. Sem exageros, é evidente  sua superioridade sobre outros métodos científicos. A parte que trata do estudo da forma sem matéria se baseia totalmente em um controle experimental e portanto pode ser checada e experimentada!  

Ao haver se elevado ao nível espiritual do objeto estudado o qabalista recebe em si mesmo todas as suas qualidades. Recebe portanto em seu interior um entendimento completo e pode tratar praticamente com os distintos tipos de formas antes de sua encarnação material. Como se estivesse observando todas as nossas ilusões desde de um ponto exterior.

A Qabalah como qualquer outra ciência, utiliza certos  símbolos e certa certa terminologia para descrever objetos e ações. Uma força espiritual, o mundo e a sephirah são designados com o mesmo nome que usamos para o dito objeto controlado por esta força no nosso mundo. Como cada objeto ou força material possui seu respectivo objeto ou força espiritual que controla suas ações, existe um ajuste absolutamente exato entre o nome tomado no mundo material e sua raiz e fonte. Daí que somente um Qabalista que tenha alcançado um nível  muito elevado de percepção pode nomear um objeto espiritual. Tendo alcançado o nível do objeto espiritual pode ver o modo em que este  afeta e influi sobre o nosso mundo. Ao escrever seus livros e transmitir seus conhecimentos, os Qabalistas utilizam esta linguagem.

Isto nos leva a seguinte conclusão: Primeiro - é imprescindível compreender a fonte espiritual do objeto material. Temos que conhecer sua natureza e propriedades. Só então podemos conectar-lo ao nosso mundo e estudar sua interação. Este é o único modo de entender verdadeiramente o sentido da Qabalah.

Aqui surge uma pergunta natural: Como pode um principiante dominar esta ciência quando nem sequer pode entender adequadamente ao seu professor? A resposta é muito simples. Isto só é possível se nos elevamos espiritualmente acima deste mundo. Isto só é possível se nos livramos do egoísmo material, aceitando os valores espirituais como os únicos autênticos. somente a paixão pelo mundo espiritual neste mundo é a chave para o mundo superior.