Pitágoras

Pitágoras foi um grande estudioso e sábio que viveu no VI século antes de Cristo. Nasceu em Samos, ilha do mar Egeu, perto da Ásia Menor provavelmente em 569 a .C.

Sua vida foi em busca de ensinamentos de antigos mestres e divulgação de suas filosofias. Para ele, e outros, tudo ressentia as vibrações, tudo era uma vibração. "Nada está parado; tudo se move;tudo vibra" (O Caibalion - Hermes Trimegistro).

Por isso ele foi a busca dessas vibrações e determinou, entre outras coisas, a escala musical e a numerologia.

Conhecemos apenas os teoremas pitagóricos e muitas pessoas nem sabem que foi ele quem definiu as escalas musicais e decodificou os sons em notas. E também foi ele quem descobriu a primeira figura tridimensional parte do triângulo. Realmente devemos muito a Pitágoras que passou sua vida juntando todo o conhecimento existente até aquela época para que todos pudessem ter uma base para o aprendizado.

Foi ele também quem nos deixou o estudo numerológico dos nomes.

Para os sábios da antiguidade, os números antes de terem uma conotação lógica tinham uma conotação espiritual.

Significado espiritual dos números

 

Pelos números temos toda evolução dos seres humanos.

número 1 ligado à ação, ao homem;

número 2 ligado à sabedoria, à mulher;

número 3 ligado à auto-expressão, à criação;

número 4 ligado à concretização dos pensamentos, ao trabalho;

número 5 ligado às mudanças, à procura de algo melhor;

número 6 ligado ao amor; à responsabilidade para com a família e sociedade;

número 7 ligado à espiritualidade; à natureza;

número 8 ligado à formação de grupos de trabalho, à justiça;

número 9 ligado à expansão dos limites, à universalidade.

Precisamos apenas desses números para montar a história da humanidade e montarmos a nossa própria história. Eles contêm todos os caminhos para nossa evolução e a evolução do Universo. Ou ele nos mostra os caminhos para a destruição pois tudo tem seu oposto e os números também têm seu significado negativo.

 

Versos de Ouro de Pitágoras

Preparação

Aos Deuses Imortais sagrado culto rende.

Resguarda o coração. Tua convicção defende.

Aos Sábios e aos Heróis, presta um preito fervoroso.

Purificação

Sê bom filho e bom pai, justo irmão, terno esposo.

Elege amigo teu o que, em virtude, prima;

Vive como ele vive e dele te aproxima.

Os conselhos lhe escutai; e, si te aconselhando

O teu amigo for um dia menos brando,

Perdão! Que sobre fiel vontade - lei severa –

A fortuna fatal às vezes prepondera.

Dominar as paixões é dom que te pertence:

Tuas loucas paixões subjuga e doma e vence.

Sê casto, sóbrio e ativo. A cólera o semblante

Nunca te ensombre, nunca o mal te seja aceito.

Em público ou sozinho, e como a um semelhante,

A ti mesmo, tributa o devido respeito.

Na palavra e na ação, sê justo e sê prudente.

Vive, - mas, não te saia a morte da lembrança;

Nem te esqueça, jamais, de que o homem, facilmente,

Perde as honras e os bens que, facilmente, alcança.

Se os males que o destino acarreta, à porfia,

Nem podes mitigar - Não blasfeme o teu lábio;

Suporta-os com prudência, e nos Deuses confia,

Que aos Deuses praz valer do que usa, como Sábio.

Adeptos, o erro os tem, como a verdade bela:

O sábio adverte, austero, ou aconselha, amigo:

Mas, se o erro vil domina, - ele recua e vela

Grava, no imo do peito as palavras que eu digo:

Não tenhas prevenção alguma: todavia,

Os atos, de outrem, pesa e a ti mesmo te guia;

Pois que, nem todos são exemplos e ensinamento.

Só do insensato é agir sem fim, razão nem tento.

Contempla, no presente, o futuro e o passado.

Faze, apenas, aquilo em que fores versado.

Instrui-te com vagar, aprende com paciência:

Do tempo e da constância é que vem a sapiência,

Poupa a saúde, que ela é um tesouro precioso

ao teu corpo: alimento; à tua alma: repouso.

Uma moderação, porque ainda mais nocivo

Do que a falta - resulta, às vezes, o excessivo.

Não pratiques o luxo e a avareza, também,

Pois só no meio termo é que consiste o bem.

Perfeição

Assim que o sol te acorde e calmo te levantes,

Julga tuas ações, como severo juiz;

E ao sono não te diz, sem perguntares, antes:

-Hoje, em que pensei eu? E que foi que hoje fiz?

Fizeste o bem?- Persiste! O mal fizeste?- Abstém-te.

Ama o conselho meu; medita o que ele ensina.

Se o amares - Eu te juro- e o seguires, fielmente,

Poderás atingir a Virtude Divina.

Eu te juro por quem o augusto emblema grava

A tétrada sagrada - em nosso coração.

Mas, primeiro, é mister, do seu dever escravo.

Dos deuses a alma invoque, ardendo em devoção.

Sob o influxo divino, as obras que empreenderes

Terminarás em paz, fugindo o engano rude.

E, perscrutando a essência ao diferentes seres,

Tu, o princípio e o fim conhecerás, de tudo

Verás que a natureza - o céu há de mostrar-te -...,

em tudo, semelhante e a mesma em toda a parte.

Conhecendo-te a ti, senhor do teu direito,

Vibrará, sem paixões, seu coração, no peito.

Homem, verás que são frutos próprios do Homem

A mágoa que o atormenta e os males que o consumem;

Porque a origem do gozo, a fonte da ventura

Que, em si mesmo possui, - além de si, procura.

Bem poucos, sabem ser felizes: Compelidos pelos

Desejos maus, joguetes dos sentidos,

Como baixel, em mar sem fim, por entre pégos,

Assim os homens vão, desnorteados e cegos.

Deuses! Quisésseis vós valer-lhes de onde estais.

Discerne, por ti mesmo, o bem e o mal: conforto

E auxílio te dar· a natureza exemplar.

Homem sábio e feliz, entre sonhado porto,

Se cumpres minhas leis, um dia hás de alcançar.

Evita o que perturba a mente e o que a alma esmaga,

aprimora a razão, esmera os valores teus;

E transpondo, enfim, a refulgente plaga

Tu, entre os imortais, serás também um Deus.

(Estes versos são atribuÌdos a Lysis, discípulo de Pitágoras e nos mostra todos seus ensinamentos. A tradução é de Dr.Moacir Cunha. Transcrito do livro "Os Grandes Iniciados - Pitágoras" de Édouard Schuré)