O Guardião do Umbral

por Francisco Marengo

 

O que seria o Autodomínio mágicko? Seria o Ego vencendo a Vontade? Poderíamos dizer que sim. Mas, como age o Guardião do Umbral e como vencê-lo?

De fato não existe somente um único Guardião do Umbral, e esse Umbral está relacionado diretamente com a passagem do Iniciado pelo véu de Paroketh logo após Hod, Netzach , Yesod e Malkuth e na passagem por DAATH ou véu do abismo. É importante entender que a grande derrocada das Qliphot em cada esfera (Sephirah) de estudo da Qabalah só se dará com a transmutação plena do Magista a nível energético, tanto nos planos mental, físico e espiritual. A partir do momento em que o Magista vai exercitando a prática em seu aprendizado, e vai se dando conta da realidade dos planos invisíveis e das diversas esferas de consciência, e vai compreendendo a necessidade plena de buscar um novo conceito filosófico que acaba matando uma forma antiga de pensar. Infelizmente só poderei passar aqui alguns insights, até que o Magista, por esforço próprio no caminho da experimentação pessoal possa entender claramente o que eu digo, e que possua o desejo sincero de conhecer algo mais sobre a Arte Real, se bem que nesse primeiro momento este desejo ainda se apresente em você de forma confusa, isto porque a totalidade dos nossos estudos são absolutamente ineficazes sem o já referido esforço rumo a prática de nossos exercícios preliminares, por mais simples que eles possam parecer.

Se já recebeu e leu ao menos parcialmente os ensaios que costumo escrever, verá que mencionamos a palavra "demônio" e que ela vem do grego "Daimonion ou Daimon" e que significa espírito, mas que também pode ter um significado mais profundo pois este Daimon também poderá vir a ser um "anjo protetor" por assim dizer. Deixe aqui de lado, conforme eu tenho explicado todos os conceitos religiosos balizados no "bem e no mal", como duas forças antagônicas que querem eternamente se destruir. Se isto de fato fosse assim, não restaria mais nada além do Caos total.

Neste ponto entenda em primeiro plano o Guardião do Umbral como um Demônio pessoal a ser vencido ou conquistado. Também é importante que entenda um conceito básico ditado por Crowley onde, "qualquer requerida mudança num contexto mágicko, precisa ter um tipo apropriado de grau de força, também gerado de maneira apropriada."

Todo Magista precisará realizar plenamente suas práticas mágickas e quando conseguir realizá-las plenamente no campo astral ou físico, entrará assim, em contato com as energias ou entidades daquele plano ou nível. O ato mágicko realizado pela Vontade fica automaticamente registrado no astral. A palavra Astral não possui aqui um contexto ou conotação tal como sua tradução no latim que significa estrelas, aqui ela significará a maneira de descrevermos as substâncias em outros planos.

Afaste nesse primeiro momento a idéia de que o astral seja um lugar ou um local que exista em separado do nosso físico ou de nossa mente. O plano Astral é o plano da imaginação, que pode ser dirigido pela vontade, este é o primeiro ponto no entendimento mágicko: "O Controle pleno do pensar e da imaginação."

O Iniciado não interpreta a Imaginação tal como o profano que lhe dá um sentido de irrealidades. Imaginar pelo Magista é criar uma forma no plano astral, ou num plano sutil, esta forma criada é real e objetiva. Abro aqui um parênteses para dizer que o sucesso na Arte Mágicka não traduz evolução moral ou espiritual, eu particularmente já conheci experimentados Magistas até com grande habilidade, mas que atuam somente no campo da devassidão e da imoralidade.

O conhecimento do Oculto nasce de dentro para fora, mediante rigoroso treino psicossomático, nasce enfim com já disse da prática. É impossível portanto que o magista sem execução de práticas ou exercícios mágickos possa balizar ou tentar colocar idéias num campo que não conhece e que jamais experimentou.

Veja como poderia transmitir uma sensação de dor de dente a uma pessoa, se esta nunca a sentiu? Como posso explicar o que seja um Demônio ou um Arcanjo, se de fato é necessário vê-los para saber o que são na realidade. Desvelar o oculto é algo que precisa ser revelado passo a passo, para evitar-se a queda do Magista nos abismos da demência, pois ao invés de ser servido pelo seu Demônio este acabará servindo a ele. Aqui tenho a certeza de haver respondido a dúvida de muitos.

Posso lhe dar uma orientação específica: a prática mágicka, os exercícios espirituais e o aperfeiçoamento espiritual através dessa prática aliada a teoria! Jamais entenda "magia" como uma receita de bolo. Imagine um pretensioso e arrogante magista que se deixe levar pela ignorância de julgar que possui todas as respostas, nesse aspecto o contato com o Guardião do Umbral o tornará um fanático a beira da loucura, pois este Guardião fará despertar as piores Ordálias nos quais o pseudomagista sucumbirá facilmente, principalmente quando defrontar-se com os véus ilusórios da matéria. Nesse caso o fanatismo do pseudomagista o levará a cegueira, tornando o ritual que deveria levá-lo a sua assunção a um simples pacto com uma entidade das sombras, por simplesmente este acreditar que tal contato deva ser feito visando a troca de favores, e não a realização de um ato nobre ou um motivo justificável.

Então a primeira pergunta que se deveria fazer é: "Qual seria a finalidade na realização de tal contato? Apesar de que a conquista do Poder Mágicko possa transparecer e que de fato é um ato pleno de virilidade, potência e força, como o maior premio para o "Magista", este também é a compreensão de que as maiores riquezas que podemos conquistar, não são as mundanas, e sim espirituais, e a sabedoria que buscamos ultrapassa aquela dos limites puramente humanos.