DE MALE PRINCIPIA

Síntese da entrevista concedida por F. Magister ao programa esotérico Astral em Alta para TV - MG em 02/2004

(Parte 02)

" O Universo é mudança;

toda Mudança é o efeito de um Ato de Amor;

todos os Atos de Amor contém Alegria Pura.

Morre Diariamente.

A morte é o ápice de uma curva da Vida - Serpente:

contempla todos os opostos como complementos necessários e regozija.

Derruba a fortaleza de teu Eu Individual de modo que tua Verdade
possa brotar livre das ruínas. " (Aleister Crowley)





Pergunta: Você me parece que segue um código disciplinar, algo que lembra os cavaleiros templários ou até mesmo os antigos samurais, coisas que envolviam um código de honra entre outras posições de conduta, umas mais outras menos radicais. O que você poderia dizer sobre isso?

Frater Magister: Nem mais nem menos radicais, nem tampouco me considero dentro de uma disciplina monástica. Creio que sabemos dividir bem as coisas e principalmente sabemos manter o foco, em qualquer atividade, seja ela no campo místico, profissional, etc.
Creio que a pessoa deveria buscar algo há muito esquecido por quem envereda na Senda Oculta, uma é a ética e a outra é o caráter. Sabe, a coisa é bastante simples. Quando você começa a sua busca, você normalmente é assolado por "n" dúvidas, mas com o tempo, passa a seguir um código de conduta próprio e naturalmente consegue passar isso para as pessoas a partir do momento que vivenciou determinados ensinamentos em sua vida. A prática aliada com uma boa dose de bom senso faz um diferença brutal, a ponto de conseguir adaptar ensinamentos de outrem sem que estes percam em vias de fato a eficiência daquilo que se pretende. Gosto muito da filosofia oriental, principalmente do Bushido - O Código de Honra e Conduta dos Samurais, até porque considero as Artes Marciais Tradicionais como um caminho de aprimoramento pessoal do indivíduo desde a mais tenra idade.

Pergunta: Você falou sobre ética, mas como isso se aplicaria a formação de caráter no caso da Magia Negra, ou do Mago Negro?

Frater Magister: Bom, o Mago ou o Magista dentro de um caminho filosófico sério, cultiva consciente e sub-consciente todos os níveis de construção do seu caráter, ou seja, ele se olha interiormente e procura moldar a sua personalidade, muitas vezes imperfeita, passando a idealizar um arquétipo, nem que com isto tenha que demolir parcialmente aquilo que já tenha anteriormente edificado por simplesmente achar (chamo a isto de filosofia do achismo) que estava certo, o que não quer dizer que esteja correto.

Pergunta: Mas seria possível alguém cultivar o inverso do que diz, sendo mais específica, cultivar o "mal", do mesmo jeito que você pretende cultivar o "bem"?

Frater Magister: Bom aqui você tocou num ponto importante que preciso discorrer um pouco antes que eu possa responder sua pergunta. As Ciências Esotéricas afirmam que há vários tipos de males, dentre os quais nem todos poderiam ser assim considerados. Se você entender que o mal pode vir a ser uma resistência inata a forma da força que procuramos empregar em nossas vidas, deveríamos antes pensar que tais males são fórmulas que as Leis Universais propiciam para que aprendamos a ter controle e redirecionamento desta força empregada.
Por exemplo, a criança que começa a dar os primeiros passos verificará por experiência própria que o atrito entre os pés e o solo possibilitam o movimento para frente. Logo este mal, não é real, ele é apenas uma fórmula desse nosso universo que está em constante movimento e evolução. Entretanto, quando tratamos de uma forma de inércia que ultrapasse esta forma de atrito normal e benéfica, estaremos tocando nos princípios que regem a amorfia ou o caos, onde não há resistência definida, ao contrário haverá um poço sem fundo,um buraco negro, onde os pés não encontram o atrito do fundo e não propiciam uma nova decolagem. Neste caso, encontram-se os magistas negros, os feiticeiros auto-iludidos que se permitem serem absorvidos pelos Portais do Caos e das Trevas que eles mesmo criaram para si.
Isto gerará fatalmente um desequilíbrio, cuja resultante será definitivamente maligna por assim dizer. Pois tudo na natureza tem um lado benéfico e outro destrutivo, se o fogo por exemplo aquece e ilumina, ele desproporcionadamente concebido pode criar incêndios devastadores, se a água purifica ela em efeitos desproporcionais poderá causar inundações. Note que não estou aqui mencionando sobre princípios Kármicos Coletivos, estou citando um exemplo que uma dose desequilibrada de força tem efeitos igualmente devastadores na vida do indivíduo. Se você ama incondicionalmente deverá compreender que amar não é fechar os olhos para os defeitos do seu filho ou companheira, ao contrário disso se você quer o melhor deverá compreender que nem sempre o melhor é o mais cômodo ou agradável. Se você igualmente está com raiva de alguém é porque geralmente tem uma afinidade com aquela pessoa e que gostaria que ela melhorasse  eventualmente seu caráter ou padrão de conduta. Entretanto, se você "odeia", poderia considerar o ódio, como uma aversão definitiva,cujo efeito seria tão destruidor quanto um incêndio ou uma inundação.
Em outras palavras se você provoca um incêndio em tudo que está edificado ao seu redor, logo você provavelmente não sairá ileso daquilo que foi desequilibradamente provocado por você. Irá se queimar também, afinal nunca vi sentimentos tais como o ódio trazerem algum benefício a quem quer que seja. Então para o Magista, a conquista do tal equilíbrio interior se torna uma meta a ser alcançada, transformando a sua mente, corpo e espírito num Tabernáculo donde lá poderá regozijar-se a beber do Santo Graal e finalmente comungar com o seu "Eu Superior" ou Sagrado Anjo Guardião.

Pergunta: Poderia para finalizar falar um pouco sobre Thelema, a Ordem que dirige e a controversa figura do mago inglês Aleister Crowley?

Frater Magister: Bom, vou tentar simplificar porque creio que assunto seria por demais extenso para colocá-lo em simples palavras, mesmo porque não gostaria de ser repetitivo e mencionar coisas que hoje estamos cansados de ver em inúmeros sites da internet. A palavra Thelema vem do grego e significa "vontade". É uma fórmula Iniciática de mencionar sobre a Vontade Mágicka ou interior que alia você ao seu Eu Superior ou Sagrado Anjo Guardião, onde você passa a conhecer o aspecto mais profundo da Verdade. Tem um filme de ficção, que não me ocorre o nome agora que diz: "A Verdade está lá fora!" O que não deixa de ser correto, pois está atingível e compreensível a todos que tiverem olhos para ver e ouvidos para ouvir, mas ela está também no nosso interior, considerando que somos parte integrante do Todo. Assim Thelema é como uma serpente que se enrosca e se molda a qualquer contorno e no final ainda consegue morder a própria calda. Thelema é adaptação, é dizer que você também pode criar, você também pode se moldar, se adaptar. Não existe regras a não ser siga a sua "Verdadeira Vontade". Se existe um incômodo adapte-se, modifique, transmute que atingirá a maestria. A vida é mutação, é renovação. Não existe morte, só existe transformação. Não há realmente nada disforme ou em desacordo na natureza. Em se tratando de Magia, poderíamos afirmar que o Mago que pode conjurar formas visíveis ou até mesmo inteligências extra-físicas só conseguirá realmente fazê-lo com o tipo de manifestações que se integram ou se alinham com sua personalidade e até mesmo com o seu caráter. Um aparelho de som danificado só produzirá sons ruins, a árvore mal adubada, mal cuidada, jamais produzirá bons frutos se é que me entende. Por tratarmos da famosa Liberdade em Thelema, temo que constantemente apesar dos avisos aos incautos, ela se transforme em libertinagem, e principalmente desrespeito a figura humana, o que não deixa de ferir um dos princípios thelêmicos de não interferir na órbita alheia. Para ser thelemita, não precisa ser chocante, nem andar de preto com milhares de tatuagens e pentagramas e outros penduricalhos. PARA SER THELEMITA, MAGISTA OU OCULTISTA, BASTA QUERER SER FELIZ E FINALMENTE VIVER ESTA TAL FELICIDADE, tão propagada por muitos e tão difícil de ser encontrada. Muitos ditos thelemitas falharam pois não conseguiram compreender o ensinamento filosófico que essa doutrina FILOSÓFICA se encerra. Quanto a S.O.T.O. Brasil é uma Ordem de cunho Mágicko, Universal, Hermético e Thelêmico, onde os mais diversos sistemas são também abordados e alguns profundamente estudados e vivenciados, mas sempre tendo como base de ensinamentos, a Magia Egípcia, o Hermetismo e a Qabalah. Não nos achamos com isto nem melhores nem piores do que ninguém, apenas somos e pretendemos ser sérios e comprometidos em todas nossas atividades de cunho Iniciático.
Quanto ao controvertido Crowley, penso nele como um grande pesquisador, mago e ocultista, talvez um dos maiores do século XX. Não o considero como um profeta, pois não vejo thelema como uma forma de religião, que apesar de panteão próprio o mesmo foi adaptado de outras fórmulas de consecução espiritual, como uma fórmula para mostrar que Thelema é adaptável a toda e qualquer religião de cunho mágicko. Penso que ele foi um grande adaptador de sistemas e como tal procuramos também sê-lo. De fato ele por vias diretas ou indiretas, canalização ou influência, foi o autor de diversos Livros de conteúdo filosófico tendo o Liber al Vel Legis, o Livro da Lei, como grimório último, ou base para todo o seu sistema. Assim, como o grande universo de ocultistas contemporâneos fez, não poderíamos deixar de beber em suas fontes. Nasceu rico, morreu pobre conquistando para si a coroa do Iniciado. Se foi bom para uns ou ruim para outros, quem quiser que faça melhor.