LOUCURA
 

            

 
                                 "Todo apelo a uma inteligência desconhecida e estranha, cuja existência nos é demonstrada e que tem por fim substituir sua direção pela da nossa razão e do nosso livre arbítrio, pode ser considerado como  um suicídio intelectual, pois é um apêlo a loucura. Tudo que abandona  uma vontade a forças misteriosas, tudo o que faz falar               em nós outras vozes que não a da consciência e da razão, pertence a alienação mental.Os loucos são visionários extáticos. Uma visão quando a gente está despertada é um acesso de loucura. A arte das evocações é a arte de obter uma loucura factícia, cujos acessos a gente provoca. Toda visão é da natureza do sonho. É uma ficção da nossa demência. É uma nuvem das nossas imaginações desregradas projetada na luz astral; somos nós mesmos que aparecemos a nós disfarçados em fantasmas, cadáveres ou demônios."
                                                                (Fragmentos de "Grande Arcano" - Eliphas Levi)
====================================================================================
Caros Amigos;
Neste trecho Levi se posiciona contra a invocação de forças que nos são estranhas, e a possibilidade real de ser conduzido a loucura por estas forças. O esoterista verdadeiro sabe que para realizar um ritual, faz-se necessário conhecer a fundo a natureza das forças que invoca, a interpretação exata das palavras que pronuncia ritualisticamente, e para onde ou qual o objetivo das energias que pretende desencadear serão dirigidos. Certa vez, meu mestre mencionara que a exceção dos deficientes mentais de nascença, a maioria dos considerados "loucos" nos manicômios, eram de pessoas que de certa forma deixaram-se levar por influências nefastas de forma consciente ou até inconsciente. Questionando ele se não poderíamos fazer nada para tentar restabelecer  estas pessoas, ele me respondeu que dificilmente isto seria possível, pois por já estarem há muito tempo neste estado letárgico obsessivo, consciente ou inconscientemente não desejavam mais desligar-se das larvas astrais e outros parasitas do invisível, pois já não tinham mais o poder de exercer a "vontade" sobre seu físico e sua psique. Anos mais tarde comprovei isto na prática. Ajudei muitas pessoas, mas para outros isto era uma tarefa totalmente impossível, pois de tão envoltos com seus obsessores, se tentasse romper o elo de suas simbioses, com certeza os levaria a doença e a morte. E não foram poucos os casos, desta natureza que pude presenciar, por isso mesmo, alerto - "cuidado ao trabalhar com energias que lhe são desconhecidas", antes de "ousar" é preciso "saber", e aprender a dominar em si mesmo os instintos de natureza inferior.
Khonx Om Pax!
Luz em extensão!
 
Fraternalmente;
 
Francisco Marengo
Frater Magister.'.'.'
E.I.E. Caminhos da Tradição
http://www.cursosdemagia.com.br