INTENSIDADE
por Francisco Marengo 

 





Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei

Em tudo o que faço na vida, procuro sempre preocupar-me com a atitude e a intensidade do ato, isto parece a mim de importância vital para nossas realizações. Se você faz algo com a idéia de passar o tempo, você na realidade está iludindo a si próprio. Lembro da primeira fase do amor adolescente, quando o jovem ou a jovem manceba imagina-se beijando a pessoa amada, muitas vezes com um amor platônico não correspondido, e se ilude tanto com isto que não consegue beijar coisa alguma. 

Mesmo hoje em dia, é necessário separarmos a ilusão da realidade, pois se deseja algo, lute, e não se entregue ao comodismo. É com tal sentimento que a gente deveria ir ao trabalho, aos nossos encontros, enfim enfrentar a vida, e é com tal sentimento, intensificado, purificado e exaltado, que deveremos sair de qualquer situação por mais difícil que ela se apresente.

Se isto é assim, quanto mais nós equilibrarmos nossa vida, mais nos integraremos com o direto propósito místico queimando em nosso inteiro ser! Tchaikovsky ou Wagner bramindo à madrugada, ou um bom Rock pela manhã; adorar o silêncio da noite ou vislumbrar com meus olhos o magnífico esplendor sagrado da lua e das estrelas, não é um espetáculo estranho pra mim. Sei que para muitos isto parece de difícil compreensão, mas vamos adiante. Imagine a vida como um baile em que a música é o corpo celestial, o vinho é o vinho do Santo Graal, ou aquele do Sabbath dos Magos, e nossa parceira de dança, uma Deusa Celestial que poderia ser sincretizada em qualquer uma tal como Nuit, Deméter ou mesmo Yemanjá. Com a alma inteira assim concentrada, diga-me agora que milagre ocorrerá?

É o ódio e o desgosto pela vida, que nos leva a nos distanciarmos desse baile conforme vamos adquirindo mais idade; quando se é jovem nossa energia está em fogo ardente; mas o amor como sentimento sublime, o único verdadeiro amor, não deveria diminuir com a idade, e sim torna-se mais profundo e intenso a cada fase de nossas vidas. 

A genialidade vem de berço, mas é plenamente possível a qualquer ser humano de ser adquirida. Talvez essa genialidade muitas vezes seja oprimida numa sociedade corrupta cruel, tal e qual vivemos. É raro encontrarmos um jovem com altos ideais, pensamentos generosos, ou mesmo elevação espiritual; e quando o encontramos não é incomum após alguns anos no mundo, ele fatalmente ser absorvido pelas massas do conformismo. Somente aqueles que compreendem intuitivamente desde a mais tenra idade, que estão aqui para o "algo mais", e que têm incrível coragem e persistência de ousar a despeito de todos os seus obstáculos diários, é que conseguem chegar a fase adulta mentalmente intocados.

Quando escrevemos uma temática mística, automaticamente nos expomos a pessoas incapazes de interpretar realmente o sentido filosófico contido em nossas palavras, correndo o risco de nos tornarmos alvos de sua "covardia", incapacidade de realização e inveja. Ora o que mais podemos esperar de uma sociedade onde na maioria das vezes, a honra e a nobreza de caráter é substituída por hipocrisia.

Faço uma analogia com meu trabalho na área agrícola, ao mencionar que não basta uma boa semente oriunda de plantas sadias e produtivas, é necessário também que preparemos o solo para que ela nasça e frutifique em solo favorável, pois senão haverá um desperdício das forças que a impulsionam ao crescimento.

É tão simples, e ao mesmo tempo tão complicado. Qualquer corrente espiritualista que resolva castrar a mente de seus adeptos, limitando seus pensamentos e a sua capacidade criativa, caminha na direção contrária ao progresso evolutivo do ser humano. Eu creio que todos estejam originalmente cônscios de que a criatividade é uma coisa sagrada. Mas muitos não sabem ou perderam sua capacidade criativa, pois permitiram que tudo aquilo que outros lhe disseram desde o seu nascimento fossem lentamente castrando, como já disse, a sua mente, limitando a sua capacidade de pensar. Com infinita timidez o aluno, ou o filho pergunta. E o pai ou a professora reage negativamente a dúvida da criança, não impulsionando a mesma a pensar, o resultado disso é a criança sentir-se envergonhada de sua "ignorância". Reflitam sobre isso: quantas vezes simplesmente respondemos de mal jeito, ou deixamos de responder uma dúvida de nossos filhos ou talvez fazendo pior, quando na verdade deveríamos realmente nos preocupar com todo interesse em seu aprendizado ou desenvolvimento. Mas o que ocorre, é que ocasionalmente nos deixamos levar por nossos problemas, não mais distinguindo nossas prioridades.

A cada instrução que passemos a nossas crianças, devemos nos preocupar que a arte de ensinar deva ser sempre sábia e santa, é preciso ter-se habilidade na arte e dedicação exclusiva a este propósito, pois nessa fase, enquanto criança, é que melhor somos iniciados com toda solenidade nos mistérios da vida.

As pessoas foram se restringindo ao invés de empregar toda a sua energia para a realização plena do milagre da vida. O homem buscou caminhos diferentes para buscar seu aperfeiçoamento, uma perfeição de âmbito materialista. A tradição mágica foi neste aspecto parcialmente perdida; o sacerdote não podia mais fazer o que se esperava dele, e a porção reprimida da sua energia estagnou-se, dando à correntes religiosas desvirtuadas o atual domínio do mundo.

Amor é a lei, amor sob vontade.