ARCANUM III 

A IMPERATRIZ

por Francisco Marengo





"Ninguém cria o universo. A ciência chamaria a esse processo: evolução; os filósofos pré-cristãos e os orientalistas, o chamariam de emanação; nós, ocultistas e teósofos, vemos nele a única realidade universal e eterna, que projeta um reflexo de si mesmo nas profundidades infinitas do espaço. Esse reflexo que você considera como o universo objetivo material, nós o vemos como uma ilusão passageira, e mais nada. Só o que é eterno é real. Neste aspecto material somos ilusões como personalidades passageiras, sendo hoje uma pessoa, amanhã outra, realmente o somos. Você chama de realidade aos repentinos resplendores da aurora boreal, às claridades do norte, por mais que sejam reais e possíveis enquanto as contempla? Seguramente não; a causa que as produz, sim, é permanente e eterna, é a única realidade, enquanto que o efeito não é mais que do que uma ilusão passageira."
(Fragmento de A Chave da Teosofia de Helena Petrovna Blavatsky)



        Interessante notar que o aspecto desenvolvido por muitas Ordens Esotéricas sérias, evocavam o princípio feminino como ponto principal de equilíbrio em todo sistema mágico.         Vê-se nitidamente que em tempos antigos onde a mulher ocupava posições em destaque a sociedade florescia, pois já evidenciavam que com a sua emancipação como ser absolutamente sensitivo dada a sua polaridade energética, sempre trazendo avanço e progresso em toda a sociedade de um modo geral. Cito desde o Egípcio antigo, Grécia antiga até os tempos atuais. 
        Já ocorre o extremo oposto onde o obscurantismo religioso dogmatizado resiste, mesmo nos dias atuais. 
        O primeiro mundo atingiu notável evolução sócio-econômica a partir do momento em que a mulher passou a ocupar uma posição de destaque em sua sociedade.
        Mas falemos da nossa soberana Imperatriz e da mulher que possui o poder de gerar uma vida e não existe maior mágicka do que esta, a criação da vida!
        Podemos dizer então por analogia que a Imperatriz pode ser sincretizada na Grande Mãe Cósmica, mas não naquela que os dogmas transformaram em "MARIA" a virgem imaculada, que perdeu o seu principal atributo e o poder de geração da vida pela semente da fecundação num ato puro de amor. Como é possível conceber uma mulher saudável sem menstruação?        Uma Maria que não pode amamentar o seu filho pois poria seus seios à mostra. Como tal cultura pode representar algo sadio, ou mesmo a expressão da "verdade" absoluta? 
       Nossa filosofia evoca a divindade feminina e a masculina, para que juntos se unam pela força do amor e que possam realizar a Santíssima Trindade, o Todo. A descrição da Imperatriz encontra-se numa passagem da própria Bíblia, o que prova que ela não é nada mais, nada menos do que uma compilação de crenças filosóficas muito mais antigas, e quiçá muito mais verdadeiras. Vejam em João 12, 1 - "Apareceu outrossim um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, que tinha a lua debaixo de seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre sua cabeça". Maria é Maia o "grande mar" que adicionado ao "R", que é Rá o Deus Sol egípcio, que fecundou suas águas para a origem da vida conforme nossa ciência oficial. Espero que os ignorantes com ares de sábio que pouco entendem sobre a natureza dos cultos tântricos e da filosofia thelêmica em geral tenham agora aprendido uma pequena lição, pois para bom entendedor meia palavra basta.
        A Imperatriz, portanto, tem sua representatividade no Poder, na Geração, na Criação, na Cura e na Liberdade. Tudo isso expressa o seu carisma, sua força e habilidade de conduzir a vida. 
        Este Arcano do ponto de vista iniciático denota a capacidade ou habilidade de dominar parcialmente e com maestria uma determinada Arte ou sistema filosófico, desde que não muito abrangente, pois nesta fase a pessoa não gosta de falar naquilo que não entende. Por ser assim ela tem o dom de plantar esperando pacientemente uma colheita futura, tem o dom de criar talismãs e de compreender a natureza dos selos e dos sigilos mágickos. 
        Aquele que não possui a Grande Mãe dentro de si, a Grande Imperatriz, ainda não é capaz de compreender e nem de criar ou gerar nada em sua vida. 
        Deixar a mente fluir numa só direção é o caminho do pilar mediano rumo a Assunção Espiritual, se você compreendeu o mistério desse Arcano estará pronto para dedicar-se ao caminho para a realização plena da Grande Obra.