HADES, O SENHOR DA MORTE

por Francisco Marengo (Frater Magister)

Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei.

"Nenhum fato é realmente inusitado, apenas consolida minha certeza de que a vida não expressa um novo começo ou recomeço, apenas uma continuidade, e em nosso caminho como sabes a tudo por fazer, os espaços são largos, bem amplos por sinal, abertos a novos pensamentos, novas verdades, novos anseios, pois somos cometas errantes, pois não nos damos ao capricho de nos prendermos a órbita de quem quer que seja. Somos de fato astros e estrelas que dançam no éter cósmico, cuja liberdade flui e já não oprime nosso peito."

- Francisco Marengo -

"Mesmo para meus melhores amigos, nunca dei mais do que relatos fragmentários e superficiais das minhas consecuções, nem pretendo gratificar a curiosidade de qualquer um, muito menos de meus inimigos. Esses últimos têm toda liberdade de acreditar em - e divulgar - quantos contos da carochinha quiserem a meu respeito, e de inventar novos contos à medida que os antigos ficarem gastos. Por que não fariam isto, se eles descrêem dos Mestres da Sabedoria?"

- H. P. Blavatsky -

"O flagelo da ignorância inunda a Terra, corrompe a alma encerrada no corpo e a impede de atingir o ponto de iluminação."

- Hermes Trismegistro -

====================================================

Segundo a lenda o poder de Hades era tal, que até mesmo os deuses celebravam seus votos e juramentos no rio Estige, cujas águas envenenadas poderiam ao mesmo tempo serem transmutadas e conferir a imortalidade, mas para isso era necessário pagar-lhe um tributo, pois a vida nada mais é do que um conjunto de ciclos inevitáveis, composto por nascimento, crescimento e morte, além de hábitos sob todos os aspectos físicos ou psicológicos do ser humano.

É importante que essa transmutação exprima "Faça o que quiser" e que tudo que deve ser comprometido no estudo do Oculto é assumir a sua prática. É necessário saber se tem ou não "autoconfiança" e se está com disposição de fazer seu conhecimento um poder, que possa ensiná-lo a agir por si próprio. Toda a libertação dos sentidos se dará pelo equilíbrio dos opostos.

Quando falamos em "Liberdade" devemos considerar que os sentidos não devem ser comprometidos pela sua ausência. O "não fazer" exprime um sentido de abstinência de que eu discordo totalmente, pois resulta em se viver a vida baseado em irrealidades, e estar preocupado com a idéia definida e preconcebida que os outros têm de nós. É por pensar assim que a maioria das pessoas adoram eclipsar-se escondendo a sua luz.

O guerreiro da luz compreende que a sua vida está envolta a batalhas, algumas de âmbito externo, outras de âmbito interno, estas últimas as mais freqüentes. Ele sabe que essa luta, assim como todas em que é testado, que têm sempre um preço a ser pago.

Em que momentos devemos acreditar que exista a corrupção dos sentidos? Em que momento e de que forma proceder ante a Iniciação, e sobretudo, da pureza e da santidade do Adeptado sem considerar os conceitos básicos de honestidade?

É necessário para tal compreender que a "alavanca kármica" toca em você quando estiver diretamente alinhado para mudar a sua realidade de forma brutal num eixo completo de 180 graus, são estas mudanças sutis que fazem a manifestação kármica tocar em você. Não há modificações completas num plano físico sem que elas estejam completadas nesse mesmo plano.

Compreender os processos de Iniciação, é se dispor a exercer e criar a mudança em níveis muito elevados. Isto, naturalmente, deixa este ensaio como um enigma verdadeiro àqueles cuja a alma se tornou distorcida pelo desordenamento psíquico-astral. É necessário a compreensão perfeita deste ponto antes de realizar quaisquer iniciações. Esta atitude conduz para a honestidade básica, sem que nos atemos ao egocentrismo, que é a maneira desonesta de se considerar puro e de conduta retilínea.

São formas assim que aprenderemos a conceber o Karma. A pergunta é: Como poderemos sentirmo-nos honestos consigo mesmos, quando nossos sentidos se afundam assim distantes na lama da desilusão interior? Talvez alguns verão aí uma forma errada de limpar-se de suas impurezas pelo flagelo de seu ser ao invés de aprenderem a transmutaram-se em seu âmago, diretamente em sua fonte original. Aqueles que preferirem o auto-flagelo eu me calo e nada tenho a dizer.

Você fez alguma coisa de que sua consciência como sua fiel inquiridora o acuse? Este é um exemplo muito real e que têm conseqüências muito reais a menos que você consiga expurgá-las de si e as alinhar no ritmo de trabalho que pretende dar a realização da Grande Obra. Como pode qualquer um criar a mudança e exercer a Arte Mágicka mais elevada quando se é acorrentado por um karma criado por sua desonestidade? Você não pode justificar suas ações por racionalizações aleatórias, porque este é um ato mágicko desordenado. Observe conseqüentemente com muito cuidado o que você considera ser sua vontade e medite com cuidado com o que ou quem você aceitará em seu círculo.

Está aqui um exemplo muito real de minha tentativa de ajustar meu karma no sentido apropriado a respeito deste problema, ante o desânimo de alguns irmãos e irmãs que se desiludem ante todo problema que surge ao se aprender um novo sistema e operar-se com consistência nesse sistema de forma perfeitamente real e funcional.

É passível de se sentir imediatamente a diferença, e resolver-se facilmente as questões interiores quando se aplica mudanças honestas em si mesmo junto a operações mágickas profundas. É preciso criarmos constantemente um ritual básico em nossa vida em que agradeçamos a nossa divindade interior por tudo que recebemos e assim assumirmos uma roupagem nova a cada início de ciclo em nossas vidas, assim nos sentiremos livres e limpos em nossas auras, e em pouco tempo sentiremos que toda a "canga" que pesava em nossa alma foi removida. Este exame de medidas extremas conseguem sempre atingir um objetivo real. Eu não posso impor meus padrões a outros, pois cada um é que deve atingir o seu próprio autodomínio, onde descobrirão certamente uma forma de trabalhar sua vida de forma muito mais eficiente.

Meu ponto principal é este. Você não pode trabalhar sua vontade eficientemente se você não estiver trabalhando nos planos sutis de sua mente fixando-os sob o seu karma que se recolherá em torno de você. Preste atenção a todas as coisas que lhe envolvem, elas serão uma indicação de como a mudança estará ocorrendo.

Amor é a lei, amor sob vontade.