Goethe Tempo de Viver Pacto & Iniciação Vida,Tempo e Dinh. Salomão Escuridão e Luz Quem? Desmistificando Mistérios Os escravos Só depende de vc Revelações Época Fantástica! Sorte no Jogo Mente Aberta A Natureza da Alma Curso Básico de Magia
O Karma de um homem não é o seu livro de contas. O Karma apenas diz que  balanço energético não foi ainda estabelecido. O Karma não significa impor dívida ao ser  humano que ele não sabe quanto é; e nem sequer sabe bem que dívida poderá ter que  pagar. Certas idéias são mais difíceis de serem concebidas com a mesma facilidade que  outras, talvez por isso a confusão sobre o tema. Mas isto é normal pois verifico que de  fato a maioria dos esoteristas está justamente inserido nesta tal confusão de idéias.  Assim vou tentar elucidar: Esta idéia de Karma tem sido confundida por muita  gente inclusive no Budismo, que está repleto de idéias de justiça poética e retribuição.  Algo assim seria como: eu te mato hoje, você vem em outra vida e me mata com a  mesma arma, tal como diz o ditado que quem com ferro fere, com ferro será ferido. Isto é  apenas uma história de fadas, um lobisomem para amedrontar crianças, e provavelmente  a pior maneira de influenciar mentes impressionáveis. Acreditar que o conceito de Karma  resida nisto reside, chegaria a ser muito ingênuo.  O Karma não trabalha absolutamente dessa forma: "olho por olho, dente por  dente", etc. Um olho por um olho é uma espécie primitiva de justiça; e a idéia de justiça,  no nosso senso humano da palavra e é completamente estranha à constituição do  Universo. Karma é a Lei de Causa e Efeito. Não existe proporção em suas operações. Uma vez  que nenhum acidente ocorra por acaso, sempre há um motivo para um acontecimento, é  possível prevermos o que poderá acontecer, por exemplo, caso deixemos de cuidar de  nossa saúde, ficaremos doentes, se não trocamos o óleo do carro, o motor irá fundir, se  não regarmos as plantas do interior de casa, elas perecerão por falta d'água, se trairmos  nossos amigos, perderemos sua amizade e possivelmente poderemos ser traídos por eles,  e assim sucessivamente, os fatos e o Universo não correspondem a um estupendo  acidente ligado ao acaso.  Se nós saímos para tomar café mil vezes seguidas, sempre no mesmo horário,  sem  nenhum incidente; é possível que na milésima primeira vez,  encontremos alguém que  mude radicalmente o curso de nossas existências.  Existe uma espécie de senso que diz ser toda impressão impingida sobre nossas  mentes, a resultante de todas as forças do passado; nenhum incidente é tão significante  que não tenha de alguma forma sido moldado a nossa disposição. Mas não existe nada  dessa crua idéia de "retribuição" nisto.  Nós podemos matar cem mil formigas durante uma caminhada na trilha da mata,  mas seria tolice supor, como alguns desejam, que esta ação nos condena a sermos mortos  por uma formiga cem mil vezes ou por cem mil formigas.  Se comermos carne de frango em demasia, teremos indigestão e talvez um  pesadelo. E seria tolice supormos que chegará um dia em que um frango nos comerá, e  ficará indisposto.  Por outro lado, nós constantemente somos terrivelmente punidos por atos que não  compreendemos ser de forma alguma culpa nossa. Mesmo as nossas virtudes provocam  em alguns a natureza insultada que leva à vingança.  O Karma cresce do que se alimenta; e se vamos criar bem o nosso Karma,  necessitamos fiscalizar-lhe a dieta.  Na maioria das pessoas, seus atos cancelam uns aos outros, tão cedo, antes que  algum esforço seja feito, sendo contrabalançado pela preguiça. Eros é substituído por  Anteros. Nem sequer um homem em cada mil escapa mesmo aparentemente dos lugares  comuns da vida animal.  O nascimento é dor; a vida é dor e dolorosa são a velhice, a doença e a morte;  Mas ressurreição sem ligação com os fatos de vida passada seria a maior miséria.  Imaginem nascer incessantemente, sem tirarmos proveito de ligações e aprendizados  inseridos em nosso ser imortal.  Como disse Buda, nós capengamos dia após dia com um pouco disto e um pouco  daquilo, uns poucos bons pensamentos e uns poucos pensamentos maldosos; mas vemos  que nada realmente é feito pela maioria das pessoas. Corpo e mente mudam  inexoravelmente, e estão completamente mudados ao cair da noite. Mas que significado  tem qualquer parte desta mudança? Quantos podem olhara para traz, contemplar o curso  dos anos, e concluir que avançaram em qualquer direção definida? Em quão pouca é  aquela mudança, tal qual ela é, uma variável com inteligência e volição conscientes. O  peso morto das condições originais sob as quais nós nascemos é muito maior que todo  nosso esforço. As forças inconscientes são comparavelmente maiores que aquelas das  quais nós temos qualquer conhecimento.  Estas forças inconscientes é que causam  a solidez do nosso destino, o Karma de nosso  planeta que nos impele, queiramos ou não, em torno do seu eixo (rotação) à velocidade  constante levando exatas 23 horas 56 minutos 4 segundos e 9 centésimos para concluir  sua volta. O universo inteiro é uma ilusão; mas é uma ilusão difícil de nos livrarmos dela. É algo  que se torna verdadeiro comparado com a maioria das coisas. Mas noventa e nove em  cada cem impressões são falsas mesmo em relação às coisas em seu próprio plano. Isto  estudamos em química, nas suas reações.  O que tratamos aqui, não é teoria do "achismo", é uma certeza interior, e mais do que  isso, é algo aprendido nos longos anos de meus estudos, e é por isso que me exponho  aberta e sinceramente, porque de outra forma não teria motivos para estar aqui.    
Ensaios    Ensaios
O Grande Sucesso da E.I.E.! Foi deste curso que nasceu  a nossa escola. Este curso é  imprescindível tanto  aos  inciantes quanto para os  ocultistas mais avançados,  ele é um guia para qualquer  magista. Ele é básico só no nome,  porque serve de base para  todo tipo de magia e de  sistema mágico que o aluno  queira seguir.   Este curso já vendeu mais  de 50,000 cópias e já foi  enviado para diversos  países!  Confira o seu conteúdo  dclicando no botão   abaixo.
+ detalhes + detalhes + detalhes
                               E.I.E. Caminhos da Tradição - todos os direitos reservados
Explicando o Karma por Francisco Marengo