O Espírito da Humanidade
                                                            por Francisco Marengo


        Neste ensaio, vou me dirigir àqueles que crêem possuir a verdade. Vejamos se como esoteristas somos melhores que os religiosos. A Ciência esotérica é uma só para todas as escolas, com pequenas variações nos termos. Estou entre esoteristas, e pela nossa Ciência: Deus existe; Ele é tudo e toda coisa está Nele. Todos os seres são uma emanação Dele, sem serem realmente distintos. O Universo é eterno, mas a matéria nada mais é do que a ilusão dos sentidos.

 
        O esoterismo está por detrás de todas as religiões, porém todas as religiões têm uma importância relativa e só servem para guiar-nos a uma realidade parcial, satisfatória somente àqueles que encontram-se alinhados em pensamentos e intelecto à estas religiões. Deus é o autor do gênero humano. O homem possui como animal, um espírito original, um espírito vivente e um espírito instintivo. Porém tem, além disso o espírito da humanidade, infundindo em um sopro por Deus, e tem o mesmo caráter que o espírito original e construtivo.
 
        O espírito simultaneamente  compreende o espírito original e o espírito da humanidade, estendendo-se sobre um tríplice domínio: animal, vegetal e mineral. Uns e outros não entendem que cada ser é um elo na cadeia universal e que ninguém chegará à união se não empurrar quem o precede e arrastar aquele que o segue. Ninguém imagina que a verdadeira união é toda cadeia universal e, enquanto nela houver um só insensato, nenhuma força do Astral Superior aceitará receber promessas.
       
        "Não disse São Paulo que todos devemos atingir a estatura de Cristo? Não disse o Mestre dos Mestres: "Estarei convosco até a consumação dos séculos"? Como pode crer um verdadeiro esoterista que ele só pode chegar a união pisando em seus irmãos? Compreendam que enquanto houver um só desgraçado no mundo, a humanidade não será feliz. A união com as forças do Astral Superior não é conseguida com virtudes egoístas. Acreditem que, uma só pequena fatia de pão dada a um necessitado é mil vezes melhor que um dia de jejum; um pensamento de paz é mil vezes preferível a um ano de oração.
        A humanidade é o corpo de Deus, contudo, se não houver identificação com esta humanidade, de que somos parte integrante tal e qual uma célula viva, jamais poderemos nos unir a este corpo. Por isso mesmo não me canso em perguntar: Quantas vezes trabalhamos para o bem geral, esquecendo-nos de nós mesmos? Todos vocês estudaram as leis do corpo humano e, observaram que todas as células trabalham impessoalmente para o conjunto e este trabalha para todas elas. Que seria do corpo se as células do fígado do estômago e dos rins , quisessem trabalhar por conta própria abandonando a harmonia geral do corpo?
       
        "Deus não pede louvor, nem gritaria; Ele pede silêncio no coração, o riso no interior e a verdade nos lábios." Não devemos nos ajoelhar diante de Deus, porque o Homem que está de pé está mais perto do Astral Superior. Os que se ajoelham, se mortificam, e os que estão de pé trabalham.
 
        O egoísmo e a egolatria é sempre a perdição dos homens. Seus seguidores são como fumaça sem chama: faz chorar os olhos mas não aquecem o corpo. A alma que existiu antes do corpo, está encerrada nele como numa prisão, com a morte do físico retornamos ao seio das Divindades. A reencarnação purifica a alma para merecer a união com Deus, união que todos podem solicitar mas só podem obtê-la se o conjunto de suas atitudes o fizerem por merecer.
       
        Não é possível construir um fundamento no caminho espiritual se a mente é inquieta, a primeira coisa necessária é quietude na mente. E, também, não é o primeiro objetivo do esoterista dissolver a consciência pessoal; o primeiro objetivo é abrí-la para uma consciência espiritual mais alta, e também para isto uma mente quieta é a primeira necessidade.
        A primeira coisa a fazer na Senda é conseguir uma paz e silêncio estáveis na mente. De outro modo você pode ter experiências mas nada será permanente. É na mente silenciosa que a verdadeira consciência pode ser construída.
       
        Uma mente quieta não significa que não haverá de modo algum pensamentos ou movimentos mentais, mas que estes estarão na superfície, e você sentirá seu verdadeiro ser dentro separado deles, observando mas não sendo levado embora, capaz de vigiá-los e julgá-los e de rejeitar tudo que tem que ser rejeitado e aceitar e tudo que é experiência verdadeira.
        Passividade da mente é uma coisa muito boa, mas tome cuidado para ser passivo somente a manifestação da Verdade. Pois se vocês são passivos para com as sugestões e influências de natureza inferior, vocês não serão capazes de progredir, ou então vocês vão se exporem a forças adversas que podem levá-los muito longe da verdadeira Senda Espiritual.
       
        Aspirem às energias cósmicas do astral superior para terem esta tranqüilidade e calma estável da mente e esta constante percepção do ser interior em vocês, mantendo-se à distância da natureza exterior e voltado para a Luz e Verdade.
        As forças que dificultam o caminho da Senda são as forças da natureza inferior mental, vital e física. Por trás delas há poderes adversos dos mundos mental, vital e físico sutil. Só se pode lidar com elas depois que a mente e o coração estiverem reunidos em uma só direção e se concentrarem na aspiração única ao Astral Superior.