ENERGIA - UMA SÍNTESE THELÊMICA

por Francisco Marengo (Frater Magister)

Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei.

Na noite dos tempos antes da Criação, existia Deus, o Todo Absoluto, Imanifesto, Incognoscível, as Trevas na Luz a Luz nas Trevas, O Caos Primordial. Nada havia porque tudo repousava no seio do eterno e do infinito. O tempo e o espaço contraíam-se no Criador. Não era vácuo e nem vazio, porque tudo não existindo, era na forma mais íntima e intensa de ser. Eis que numa determinada hora ou momento pré-cósmico, Ele entoou o Verbo, anunciando a aurora da manifestação, e expirou exalando Seu alento, que se expandindo, criou os sete planos. Pesquisando a origem do universo físico, os cientistas sustentam a teoria do Big-Bang, onde teria havido uma matéria universal original que, submetida a uma pressão extraordinária, explodiu, criando todos os corpos celestes. A Ciência Oculta, sustenta a teoria do universo em expansão, onde se diz que toda a Criação subsistirá até o dia da manifestação cósmica, aí retornando ao Criador para o repouso da Noite e dormirá por mais uma eternidade, até a aurora de um novo dia da criação, também denominado de dia de Brahma. Assim, as eternidades se sucedem; não existindo apenas um dia de Manifestação, mas muitos, incontáveis. Esse é o grande teatro cósmico, repleto pelos sóis, planetas, cometas; onde a luz separou -se das trevas; onde formaram-se os céus, mares e terras, plantas e animais, além dos luminares para iluminar a terra de dia e de noite, estrelas e satélites; cenário cósmico de qual somos todos atores. Em Liber Al I, vs. 1-7:

"1. Had! A manifestação de Nuit."
"2. A desvelação da companhia do céu."
"3. Todo homem e toda mulher é uma estrela."
"4. Todo número é infinito; não há diferença."
"5. Ajuda-me ó guerreiro senhor de Tebas, em minha desvelação diante das Crianças dos homens!"
"6. Sê tu Hadit, meu centro secreto, meu coração & minha língua!"
"7. Vede! é revelado por Aiwass o ministro de Hoor-paar-kraat."

O significado espiritual daquele que busca a Senda é o da entrega e o do sacrifício. Da entrega pois aquele que não se mantém aberto, não canaliza, ou não se entrega as energias é praticamente nulo ou sem sentido, assim como, todos sabem que uma doação de si é exigida, porque sem o sacrifício é praticamente impossível alcançar algum ponto próximo a meta almejada. Em Liber Al I, vs. 50:

"50. Existe uma palavra a dizer a respeito do trabalho Hierofântico. Vede! existem três ordálias em uma, e pode ser dada em três caminhos. O grosseiro deve passar por fogo; que o fino seja provado em intelecto, e os elevados escolhidos, no altíssimo. Assim vós tendes estrela & estrela, sistema & sistema; que nenhum conheça bem o outro!"

Manter-se aberto significa ser um canalizador das forças do Astral para trabalharem em você e posteriormente para você. A abertura deste canal se dá pela Verdadeira Vontade, pois ela trabalhará em seu ser de um modo a transmutar e lapidar o seu ser a criar em si a Assunção às formas criando em sua mente uma atmosfera astral mais quente, brilhante e resplandecente. É um sentimento tal como o de saciar a sede, e ter a certeza de que estamos dirigindo nossos próprios passos. Vide em Liber Al, vs. 32:

"32. Obedecei meu profeta! cumpri as ordálias do meu conhecimento! buscai-me apenas! Então as alegrias do meu amor vos redimirão de toda a pena. Isto é assim; Eu o juro pela cúpula do meu corpo; por meu sagrado coração e língua; por tudo que Eu posso dar, por tudo que eu desejo de vós todos."

As forças contrárias oriundas das Lojas Negras usualmente nos sugestionam para que algum elemento egoísta trabalhe em nossa mente, querendo que usemos essas forças ou energias para propósitos egóicos. Entretanto o nosso "SAG", naturalmente sempre se volta em direção a uma corrente de forças superiores. O Poder de "Magick" idealizado para um objetivo meramente material, transforma nossa vida apenas superficialmente. Vide em Liber Al I, vs. 57:

"57. Invocai-me sob minhas estrelas! Amor é a lei, amor sob vontade. Nem confundam os tolos o amor; pois existem amor e amor. Escolhei bem! Ele, meu profeta, escolheu, conhecendo a lei da fortaleza, e o grande mistério da casa de Deus."

O verdadeiro Adepto sabe que a sua realização, está na realização da Sua Vontade. Portanto, a busca pessoal deverá até certo ponto ser impessoal, havendo então uma abertura à canalizar Poder Superior de "Magick" pelo caminho da auto-entrega; pois o Impessoal não consiste em ajuda, mas algo a ser alcançado de forma progressiva na conformidade com o caminho escolhido e na capacidade de sua natureza assimilá-lo. Em Liber Al I, vs. 60:

"60. Meu número é 11, como todos os números que são de nós. A Estrela de Cinco Pontas, com um Círculo no Meio, e o círculo é Vermelho. Minha cor é negra para os cegos, mas o azul & ouro são vistos pelos videntes. Também Eu tenho uma glória secreta para aqueles que me amam."

"Magick" é o meio de adestrar o nosso domínio mental, racional e emocional. É fazer surgir do nada a luz astral que tudo envolve, fecunda, vivifica, purifica e harmoniza. Todo ser humano traz em seu interior um imenso potencial mágicko. Alguns enveredam pela senda da magia exterior, porque imaginam que com ela se tornarão poderosos. Contudo, o verdadeiro Arcano da Magia(k) é que ela é uma geradora de energias positivas ou negativas, luminosas ou trevosas, vivificantes ou mortificantes, benignas ou malignas, puras ou viciadas, humanas ou desumanas, divinas ou diabólicas, cujas fontes geradoras estão em nós mesmos, em nossas mentes. Sejam como forem estas fontes geradas, os verdadeiros Magistas conscientizam-se de um ponto: a de que são capazes de gerar energias, diferindo-se aí, das demais pessoas, que preferem utilizar-se das energias alheias ao invés de suprirem suas próprias necessidades com a autogeração de energias a partir de seus moldes originais, que se alimentam da fonte inesgotável denominada por nós de Deus Interno - Fonte única de todas energias existentes nos muitos universos. Em Liber Al II, vs. 78:

"78. Levanta-te! pois nenhum existe como tu entre os homens ou entre os Deuses! Levanta-te ó meu profeta, tua estatura sobrepassará as estrelas. Elas adorarão teu nome, quadrangular, místico, maravilhoso, o número do homem; e o nome de tua casa 418."

Muitas alegorias sobre a lei do Karma, são formas esotéricas para poderem transmitir aos estudantes o sentido imutável das leis cósmicas Universais, que em conjunto têm um único sentido: a evolução de cada ser tanto no conhecimento como na realização interior. Cada ação, cada pensamento positivo ou negativo, nos dá a possibilidade de subir um degrau, ou perder algo que já tínhamos alcançado. Quando a lição é aprendida, passamos para uma série superior, mas repetimos a mesma série em caso de reprovação. Neste caso, significa que nossas paixões e compaixões doentias tomaram conta de nós e não conseguimos superá-las. Se nosso destino está traçado em conseqüência de nossas atitudes, palavras e pensamentos inclusive de vidas anteriores, esse mesmo destino pode ser modificado para melhor, se soubermos enfrentar conscientemente tudo aquilo que nós criamos. Em Liber Al II, vs. 21:

"21. Nós nada temos com o proscrito e com o incapaz: deixai-os morrer em sua miséria. Pois eles não sentem. Compaixão é o vício dos reis: calcai aos pés os desgraçados & os fracos: esta é a lei do forte: esta é a nossa lei e a alegria do mundo. Não penses, ó rei, naquela mentira: Que Tu Deves Morrer: em verdade, tu não morrerás, mas viverás. Agora, que seja entendido: Se o corpo do Rei dissolver-se, ele permanecerá em puro êxtase para sempre. Nuit! Hadit! Ra-Hoor-Khuit! O Sol, Força & Visão, Luz; estes são para os servidores da Estrela & da Serpente."

Através de um trabalho lúcido e que esteja baseado nos princípios da grande sabedoria universal criadora de universos, livre da escravidão dos sectarismos e fanatismos religiosos, podemos eliminar parcialmente aquilo que nos seria destinado a passar ou enfrentar. Pode ser necessário a você procurar a verdade onde ela estiver, em muitos lugares ao mesmo tempo, mas para definitivamente encontrá-la, mesmo no início seja uma ínfima parte, devemos buscá-la em nós mesmos, naquela essência perdida na noite dos tempos, pois num passado distante já experimentamos do fruto proibido do Conhecimento Sagrado, somos a síntese de Lúcifer e Prometeu pois já roubamos o fogo sagrado dos "deuses". Vide em Liber Al II vs. 22, 26-27:

"22. Eu sou a Serpente que dá Conhecimento & Deleite e glória brilhante, e agita o coração dos homens com embriaguez. Para me adorar, tomai vinho e drogas estranhas das quais Eu direi ao meu profeta, & embebedai-vos deles. Eles não vos farão mal de forma alguma. Isto é uma mentira, esta tolice contra si mesmo. A exposição de inocência é uma mentira. Sê forte, ó homem! Arde, usufrui todas as coisas de senso e raptura: não temas que Deus algum te negará por isto."

"26. Eu sou a secreta Serpente enroscada a ponto de saltar: nos meus anéis há alegria. Se eu levanto minha cabeça, Eu e minha Nuit somos um. Se eu abaixo minha cabeça, e lanço veneno, então há raptura da terra, e Eu e a terra somos um."

"27. Há grande perigo em mim; pois quem não entende estas runas cometerá um grande erro. Ele cairá na cova chamada Porque, e lá ele perecerá com os cães da Razão."

Assim tomamos consciência que Qelhma nos ensina sobre o amor universal; sobre o mecanismo esotérico e os meios metafísicos de movimentar forças salutares e protetoras; a aprender sobre os segredos das palavras mântricas para o contato com as forças invisíveis e sobre os mistérios das energias tântricas; rituais secretos para projetarmo-nos astralmente com absoluta eficiência estabelecendo contatos com inteligências extra-físicas, moradores dos planos invisíveis. Em Liber Al II, vs. 52-54, 66.

"52. Há um véu: esse véu é negro. É o véu da mulher modesta; é o véu da lamentação & o pano da morte: nada disto é de mim. Arranca esse espectro mentiroso dos séculos: não veleis vossos vícios em palavras virtuosas: estes vícios são meu serviço; vós fazeis bem, & Eu vos recompensarei aqui e para o futuro."

"53. Não temas, ó profeta, quando estas palavras forem ditas, tu não ficarás triste. Tu és enfaticamente meu escolhido: e abençoados são os olhos sobre os quais tu olhares com alegria. Mas eu te esconderei sob uma máscara de tristeza: aqueles que te olharem temerão que tu sejas caído: mas Eu te ergo."

"54. Nem aqueles que gritam alto sua tolice de que tu nada significas aproveitarão; tu revelarás isto: tu vales: eles são os escravos de porque: Eles não são de mim. Os pontos, como tu quiseres; as letras? não as mude em estilo ou valor!"

"66. Escreve, & encontra êxtase na escrita! Trabalha, & sê nossa cama no trabalho! Treme com a alegria da vida & morte! Ah! tua morte será amável: aquele que a vir será feliz. Tua morte será o selo da promessa de nosso antigo amor. Vem! levanta teu coração & regozija-te! Nós somos um; nós somos nenhum."

Pois amigos, cabe a nós com nosso esforço, compreendermos cada mensagem e cada instrução, buscando a parte ou parcela da verdade que ali nos cabe. A vida é um privilégio do espírito que não pode ser desperdiçada, é nosso dever fazer de nossas vidas a irradiação dos nossos pensamentos sinceros, sem hipocrisia alguma, tentando tornar a matéria infiltrada pelos nossos espíritos, pura em força e energia. Em Liber Al II, vs. 70:

"70. Há auxílio e esperança em outros encantamentos. Sabedoria diz: sê forte! Então tu podes suportar mais alegria. Não sejas animal; refina tua raptura! Se tu bebes, bebe pelas oito e noventa regras de arte: se tu amas, excede por delicadeza; e se tu fazes algo prazeroso, que haja sutileza ali!"

Sagrada é a energia da Criação manifestada. Qual será a nossa Verdadeira Vontade senão aquela dos nossos corações. Tudo pode tornar-se tão duro quanto a pedra ou tão translúcido quanto o fulgor da chama que alimenta nossa alma. Pensamentos criam; criam a matéria que será utilizada como escada do espírito. O éter cósmico pode ser manejado pela força do amor impulsionado pela vontade, pois cada pensamento está impregnado por partículas da vida etérea através de um movimento vibratório, cuja matéria nada mais é que um conjunto de partículas de vida magnetizadas pela força de uma idéia persistentemente dirigida. Assim somos constituídos. A Matéria, o espírito e a energia constituem a trindade expressa do Uno, a assunção nos leva a um estado de espírito que assimilará em determinado estágio a substância primeva da Criação. Em Liber Al III, vs. 70-75:

"70. Eu sou o Senhor da Cabeça de Falcão do Silêncio e da Força; meu nêmes encobre o céu azul-noturno."
"71. Salve! vós, guerreiros gêmeos, sobre os pilares do mundo! pois seu tempo está bem próximo."
"72. Eu sou o Senhor da Dupla Baqueta de Poder; a baqueta da Força de Coph Nia - mas minha mão esquerda está vazia, pois eu esmaguei um Universo; & nada permanece."
"73. Empastai as folhas da direita para a esquerda e do topo para o fundo: então vede!"
"74. Há um esplendor em meu nome secreto e glorioso, como o sol da meia-noite é sempre o filho."
"75. O final das palavras é a Palavra Abrahadabra."

Os mistérios são verdadeiramente estudados pelos Magistas nos Templos existentes nas esferas espirituais celestes que nada mais são que os Estados Mágickos de Consciência entendidos como dimensões da psique humana, ao atingir estes Estados Mágickos integraremos de corpo e alma à Ordem dos Magos da Tradição Natural, pois o estudo das forças da natureza compreendem o estudo das forças naturais primárias que nos envolvem. Em Liber CL, Crowley diz no prefácio:

"Finalmente, pela Liberdade, há o poder de dirigir vosso curso de acordo com vossa Vontade. Pois a extensão do Universo é sem limites, e vós sois livres para fazer vosso prazer como quiserdes, vendo que a diversidade do ser é também infinita. Pois também isto é a Alegria da Lei: que não há duas estrelas semelhantes, e vós deveis entender também que esta multiplicidade é, ela mesma, Unidade, e sem ela a Unidade não poderia existir. E isto é um duro discurso contra a Razão; vós compreendereis quando, subindo acima da Razão, que é apenas manipulação da mente, chegardes ao Conhecimento puro através da percepção direta da Verdade. Sabei, também, que estas quatro Emanações da Lei flamejam sobre todos os caminhos; vós as usareis não apenas nestas Rodovias do Universo, das quais eu escrevi, mas em todo Atalho de vossas vidas diárias".

Somos todos gerados por um único poder Criador, e o que nos distancia são apenas os nossos valores, estes valores geralmente é que nos fazem admirados ou rejeitados por possuí-los. Todos os bens e valores espirituais são comuns a todos os seres humanos, e todos podem tê-los pois os trazemos na origem, apenas a maioria não sabe disso. Ser afortunado é adquirir tais valores. E quanto aos nossos bens? Acredito que um ser humano só é possuidor do que traz no seu íntimo, pois este ninguém poderá tirar-lhe, pois não são transitórios, e são visíveis àqueles que forem capaz de enxergá-los, de visualizá-los, de sentí-los. Os bens dos sentidos são imortais e intocáveis. Ainda em Liber CL Crowley diz:

"Aqui a Natureza mesma é vosso orientador; pois em cada fenômeno de força e movimento ela proclama alto esta verdade. Mesmo numa questão tão pequena como enfiar um prego numa tábua, ouvi este mesmo sermão. Vosso prego deve ser duro, liso, de ponta fina, ou não se moverá rapidamente na direção desejada. Imaginai então um prego de madeira podre, com vinte pontas: em verdade, isso não é mais um prego. Porém quase toda a humanidade se parece com isto. Eles desejam uma dúzia de carreiras diferentes; e a força que poderia ter sido suficiente para atingir eminência em uma é desperdiçada nas outras, elas são anuladas".

Permitir ao público em geral a assimilação dos valores espirituais é permitir que eles possam compará-los com seus bens exteriores. Só assim, poderão avaliá-los para perceberem o que lhes trarão mais satisfação. Lançar-se na conquista de bens exteriores, não importando os meios, contanto que se atinjam os fins, só demonstrará tal indivíduo totalmente vazio de bens interiores. Ainda em Liber CL Crowley diz:

"Buscai-vos a vós mesmos astutamente, eu vos rogo, analisando vossos pensamentos mais íntimos. E primeiro vós descartareis todos esses grosseiros e óbvios obstáculos a vossa Vontade: ociosidade, amizades tolas, dedicações e diversões supérfluas; eu não enumerarei os conspiradores contra o bem estar de vosso Estado.

Após, encontrai o mínimo de tempo diário que é verdadeiramente necessário a vossa vida natural. O resto vós devotareis aos Verdadeiros Meios da vossa Consecução. E mesmo aquelas horas necessárias vós consagrareis à Grande Obra, dizendo conscientemente, sempre, enquanto ocupado com essas tarefas, que vós as executais apenas para preservar vosso corpo e mente saudáveis para a justa aplicação àquele sublime e singular Objeto.

Não demorará muito antes que comeceis a entender que uma tal vida é a verdadeira Liberdade. Vós sentireis distrações de vossa Vontade como sendo o que elas são. Elas não mais aparecerão como agradáveis e atrativas, mas como grilhões, como vergonhas. E quando tiverdes atingido este ponto, sabereis que vós passastes o Portal do Meio do caminho. Vós tereis unificado vossa Vontade".

Talvez pensando assim, possamos avaliar melhor o real valor dos bens que possuímos, e se estes estão verdadeiramente preenchendo o vazio que cada um de nós tem em nossos interiores ou quiçá o entendimento pleno na ânsia pela busca. Ser um Buscador, é apenas iniciar a busca de si próprio, que aliando o raciocínio a premissas abstratas, buscará explicar o universo que reside dentro de si. Entender o mundo e as energias que o envolve, é uma maneira de compreendermos a si próprios. A Verdade está acima da razão, pois toda racionalidade mundana.

Amor é a lei, amor sob vontade