Código do Guerreiro

Francisco Marengo

- Um guerreiro procede estrategicamente, conhece a arte de lutar sem lutar, de se defender apenas se protegendo. Mas se resolver atacar, seu toque será tão pesado como de uma montanha.

- Adaptabilidade. O guerreiro muda sua maneira de ser tantas vezes quantas forem necessárias. Ele conhece a arte da adaptação e se molda facilmente ao meio.

- Um guerreiro respeita as forças que dirigem nossas vidas e nossas mortes. Ele nunca pensa que sua vida vai durar para sempre, sabe que a morte está somente a um braço de distância, assim como tem sempre presente a morte como conselheira.

- Agirá não só como o caçador que deve conhecer os hábitos de sua presa, mas também saberá que há forças neste mundo que regem a vida dos homens, dos animais e tudo o que é vivo. O que você chama de sonho, para um guerreiro é real. O que você chama de vida, para um guerreiro é somente um sonho e como sabe que um sonho é só uma ilusão passageira, não será um tolo. Caçará a sabedoria pois ela é a fonte de poder. Pois assim não terá tempo nem vontade de fingir, de mentir a si mesmo ou dar um passo equivocado. Sabe que o tempo é muito precioso para isso.

- Serenidade e uma quietude controlada são as marcas de um guerreiro. Assim ele será guiado por um propósito inflexível podendo facilmente vencer quaisquer desafios.

- Procurar perfeição e harmonia do espírito, do corpo e da mente é o único empreendimento que o guerreiro considera digno. Esta disposição exigirá controle sobre si e, ao mesmo tempo, sentimento de entrega total a vida e as coisas da vida. Seu cálculo será preciso e isso é controle. Mas, uma vez terminados seus cálculos, ele age, entrega-se. Isso é desapego. Um guerreiro não é uma folha ao vento. Ninguém pode empurrá-lo; ninguém pode obrigá-lo a fazer coisas contra si ou contra o que considera errado.

- Um guerreiro pode ser ferido, mas não ofendido. Para um guerreiro não há nada ofensivo nos atos de seus semelhantes, enquanto ele estiver agindo dentro da disposição correta.

- O homem é apenas a soma de seu poder e modo de ser pessoal e a soma de ambos determina como ele vive e como ele morre. O segredo disto reside não no que você faz consigo, mas no que você não faz. O procedimento do guerreiro é impecável.

- O guerreiro age em conformidade com as Leis Universais e está em harmonia com o mundo e com o Universo, ele sabe porque pratica e vivencia de corpo e alma tudo que aprende. Já o fraco procura justificar tudo no mundo com explicações vazias de que não tem certeza e que jamais vivenciou. Assim aprendemos a agir como um guerreiro agindo, não falando.

- Uma regra simples: o guerreiro sabe que está esperando e o que está esperando. Enquanto espera, não precisa de nada e assim qualquer coisa que ele receba é mais do que pode esperar.

- Um guerreiro tem de usar a vontade e a paciência para esquecer. Na verdade, um guerreiro só tem a sua vontade e a sua paciência e com elas constrói o que quiser. A vontade é o que pode fazê-lo vencer quando seus pensamentos lhe dizem que está vencido. A vontade é o que o torna invulnerável, afinal quem teme perder já está vencido.

- Com a consciência em sua morte, com seu desprendimento e com o poder de suas decisões, um guerreiro organiza a sua vida de maneira estratégica. O conhecimento de sua morte o orienta e o torna desprendido e secretamente sensual. O poder de suas decisões finais o torna capaz de escolher sem remorsos e o que ele escolhe é sempre estrategicamente o melhor. Assim ele executa tudo o que precisa com sua vontade e com uma eficiência sensual.

- A vida para um guerreiro é um exercício de estratégia. Um guerreiro não se importa com o significado de sua vida, porquanto que seja um aprendiz da adaptabilidade e da impecabilidade do ato. Suas ações jamais são fúteis, nem tem pressa para aquilo que precisa ser bem trabalhado. Mantém o foco de sua mente em todas as suas atividades, sem carregar fardos que não irá suportar, mas somente aqueles que compreende que irá superar. Ele só deve estar preparado para combater, sem caprichos nem reclamações, nem espera vencer, nem espera perder, pois na perda ou na vitória sempre haverá uma lição. O espírito do guerreiro só é dado à luta e cada embate será como a última batalha na Terra. Assim, o resultado lhe importa muito pouco. Em sua última batalha na Terra, o guerreiro deixa seu espírito morrer, livre e claro. E enquanto trava sua batalha, sabendo que sua vontade é impecável, o guerreiro vê-se envolto sempre numa grande batalha. Suavidade se interpõe as durezas de seu aprendizado, afinal são as brisas que perfumam seu mundo. A flexibilidade do galho da árvore permite que a neve caia ao chão. Suavidade e flexibilidade, eis a chave!

- Preocupe-se e pense antes de tomar qualquer decisão, porém, uma vez tomada, siga seu caminho livre de preocupações e pensamentos; haverá mil outras decisões ainda à sua espera. É assim a maneira do guerreiro. Esvaziar sua mente quando as coisas se turvam.


- O guerreiro se faz feliz e assim, se faz forte. O homem comum se importa em saber se as coisas são verdadeiras ou falsas, mas um guerreiro não, pois sabe que não existe nenhuma verdade e nenhuma falsidade desde que exista a pureza do ato.

- Um guerreiro vive sua vida estrategicamente, não perde uma ínfima oportunidade que aparece diante de seus olhos.

- Os guerreiros escolhem seu campo de batalha. Um guerreiro nunca entra na batalha sem saber o que o cerca. Isto o capacita para uma faculdade infinita de improvisação.

- Um guerreiro aceita seu destino, seja qual for e o aceita na mais total humildade. Aceita com humildade aquilo que ele é, não como fonte de pesar, mas como um desafio vivo. Não curva a cabeça para ninguém, mas ao mesmo tempo não permite que pessoa alguma curve a cabeça para ele.

-Um guerreiro tende a ser fluido e mudar em harmonia com o mundo que o rodeia, seja o mundo da razão ou o mundo da vontade. Ser um guerreiro significa ser humilde e alerta. Sua intenção é o portão do meio. Assim não se sentirá desamparado, nem confuso, nem assustado em nenhuma circunstância. Muitos poucos estariam dispostos a escutar e dentre esses poucos que escutam, um número ainda menor estaria disposto a agir, menos ainda têm suficiente poder pessoal para aproveitar seus atos. Perca a importância própria, assuma a responsabilidade e vise a morte como conselheira.

- A liberdade que tem um guerreiro é ou agir de modo impecável ou agir como idiota. A impecabilidade é realmente o único ato que é livre e assim a verdadeira medida do espírito do guerreiro.

- Um guerreiro reconhece sua dor, mas não se entrega a ela.

- A alegria de um guerreiro vem de ter aceitado o seu destino e ter avaliado lealmente o que o espera. A tristeza pertence apenas àqueles que detestam aquilo mesmo que abriga seus seres. Um guerreiro não procura nada para consolar-se. Um guerreiro nunca pode deixar nada ao acaso; o guerreiro altera o resultado dos acontecimentos pela força de sua percepção e seu propósito inquebrantável. Porém, não se decepciona quando não consegue mudar.

- Um guerreiro espreita qualquer coisa, inclusive a si mesmo, do mesmo modo que o caçador espreita a caça, estuda seus hábitos até conhecer todas suas fraquezas e depois salta sobre elas e as encarcera como coelhos dentro de uma gaiola. Seu poder não é focado naquilo que é material , mas sim no seu espírito, que consiste no verdadeiro vôo ao desconhecido e não em campos triviais. A capacidade da visão só ocorre quando o guerreiro consegue parar com o diálogo interior. Aí, vivendo um controle e consciência completos, sem pressa nem compulsão, ele faz o máximo para conseguir o equilíbrio. Nada há nesse mundo que não se possa enfrentar, afinal um guerreiro já se considera morto, pois sabe que começou a morrer a partir do dia que nasceu, de modo que nada tem a perder.

- Os guerreiros não conquistaram suas vitórias batendo com a cabeça de encontro aos muros e sim, conquistando os muros, saltando sobre eles, sem destruí-los. Um guerreiro age como se nada tivesse acontecido, porque não acredita em nada e no entanto aceita tudo pelas aparências. Aceita sem aceitar e despreza sem desprezar. Nunca acha que sabe, nem sente que nada aconteceu. Age como se estivesse...

- Um guerreiro deve abandonar a forma humana a fim de se modificar de verdade. Nada se pode mudar se não se abandona a forma anterior. Um guerreiro sabe que não pode mudar nada e então trata de mudar a si mesmo, assim a vantagem do guerreiro sobre o homem comum, é que o guerreiro nunca se decepciona quando não consegue mudar. O importante para um guerreiro é alcançar a totalidade de seu ser.

- A autoconfiança do guerreiro não é a mesma que a do homem comum. Este busca a certeza aos olhos do espectador e chama a isso autoconfiança. O guerreiro busca a impecabilidade a seus próprios olhos e chama a isso humildade. O homem comum está agarrado a seus semelhantes, enquanto o guerreiro só se agarra a si mesmo.

- A diferença entre a autoconfiança do homem comum e a humildade do guerreiro é a seguinte: "A confiança em si significa saber algo com certeza, a humildade significa ser impecável em suas ações e sentimentos."