A MANEIRA DO FORTE
por Francisco Marengo

 

        Vou tentar ser muito sincero, creio que se faz por parte de alguns ocultistas e estudiosos uma coisa muito romanceada a despeito de Ordens e Mestres. Dá-se a impressão de que a qualquer momento quando estivermos prontos  aparecerá um ser iluminado para nos guiar nos caminhos obscuros da magia e do ocultismo. Mas, veja, se o indivíduo atinge tal grau de evolução moral e espiritual, para que ele precisaria de um mestre? Eu acredito que nosso verdadeiro mestre é uma parcela Divina e Essencial do Criador que reside no nosso interior. É por isso que o aforismo diz: "Conhece a ti mesmo!" Não acredito em mestres bonzinhos e que com total desapego e amor queiram nos ensinar alguma coisa. Creio sim, que existam pessoas, e ocultistas, que consigam nos transmitir parcelas da Verdade. Creio mais, creio que numa única existência poderemos ter muitos mestres. Em determinados momentos poderão ser nossos pais, nossos professores escolares, um padre inspirado que prega um grandioso sermão ou um simples amigo ou até mesmo um desconhecido que nos chega para nos confortar com uma palavra amiga, num momento difícil. Mas acho que se a pessoa acredita que vai encontrar o tal ser iluminado, não sou eu que  tentarei mudar sua concepção, apenas demonstro como interpreto tais assuntos.

        Nós de Thelema reconhecemos dois tipos dos povos no mundo: Mestres e escravos. Como novatos do trabalho na Grande Obra, naturalmente, precisamos ser mestres, ou buscar a maestria para que nos livremos do escravidão e da limitação. Nós não procuramos dominar ou controlar outros, mas dominar e controlarmos a si mesmo, o que já é um grande feito. Os mestres são aqueles que realizam e fazem sua própria vontade verdadeira, e que vivem como indivíduos livres no mundo, autogovernados e auto-suficientes, são cidadãos do mundo. Os escravos, por outro lado, ignoram sua verdadeira vontade,  sendo parte da consciência coletiva e da massa de conformismo, perdida e limitada em um mundo insensível e ignorante repletos do desilusão. Os mestres são poucos, escravos são muitos.

        Os mestres são os verdadeiros empregados da Divindade, que exercitam o amor sob vontade, e unem-se com o Todo fazendo do movimento do Universo a sua própria verdadeira vontade. Os escravos, são limitados a suas naturezas inferiores ou pessoais, e nem sabem a que vieram e para onde vão.

       

        De fato, os escravos são as vítimas que vivem a mercê dos extremos. Os mestres, vivem na consciência mais elevada de seu verdadeiro "Eu", no centro sublime de suas almas, e são dedicados a saber e fazer da sua verdadeira vontade, a vontade do universo. Não são limitados pelo ego ou falta de visão. Ao contrário, os mestres expandem sua consciência além de seu ego pessoal para incluir sua consciência ao verdadeiro "Eu Superior", que é conectado pela natureza com o verdadeiro ego de cada indivíduo. São estrelas originais do universo, ligado mais intimamente com cada estrela no corpo glorioso de nossa senhora Nuit.

        Os mestres vivem pelo sua própria luz interna; são iluminadores e não iluminados; não dependem de quem quer que seja. Aleister Crowley escreveu: "nós queremos somente aqueles que podem conquistar a si em seu próprio ambiente. Um dos  objetivos principais é abolirmos a falsa idéia de dependência. " Os mestres baniram a limitação da dependência; vivem como os indivíduos verdadeiros e auto-realizados na consciência espiritual sublime de seu verdadeiro ego superior.

        O Ocultismo ensina que o esforço individual é de grande importância nesta alquimia. Não existindo vontade de melhorar, o indivíduo permanece estacionário no caminho iniciático, ao sabor das idiossincrasias de sua personalidade. Como as coisas são colocadas em determinada organizações esotéricas, pode parecer que a mudança individual é suficiente para se mudar a sociedade e o mundo, o que sabemos não ser possível na prática. A influência do meio, isto é, da "moral vigente" , das condições gerais da vida, da tradição e dos costumes - sejam bons ou sejam maus -pesam sobre nós, influindo não apenas em nossas decisões, mas também em nosso proceder.

        Os mestres são doadores da palavra e fazem disto sua própria verdadeira vontade. E estão dispostos pagar o preço por isso. Aceitam a completa  responsabilidade em sua própria vida e gravitam continuamente movendo-se em uma maneira ascendente e para a frente, com energia e entusiasmo, disciplina, diligência, persistência e poder. Eles sabem que nada será contra eles; e por pior situação que passem não são vítimas, e não tentam arrumar desculpas para um possível erro. Assumem a responsabilidade e seguem avante. E por mais que nos dias atuais esteja erguendo uma onda, como jamais houve antes, em torno do Ocultismo sofrendo inúmeras quebras e distorções, ele mantém seu tronco principal intocável. Não se abalam pelas tradicionais  tragédias, previstas por videntes, à qual poucos dão ouvidos, por saberem se tratar de desinformação ou enganos propositais, ligados diretamente ao "trabalho" de malévolas correntes que atuam contra o homem.

        Atualmente, certas práticas e ensinamentos desse Conhecimento tomaram rumos completamente distantes da Corrente Original. O fato constitui sério perigo; muito mais grave do julgado por uma maioria de pessoas não despertas para o que realmente significa o Ocultismo. E, por esta razão, são enganadas e carregadas num remoinho que, seguramente, levará a todos nós ao desastre físico e psíquico, senão pior.

        Entre estes encontramos "ordens" , usando dessa máscara para atrair os néscios. Mas o que estes "pseudo-iniciados" apresentam não passa de lixo, rebotalho expelido daquilo que se pretende ser uma Ciência Arcana Real. 

        Há um ponto que tem sido a margem de discussões e reflexões, e que me parece de grande importância. Falo da questão acerca do empenho de cada um de nós deve possuir no sentido de aperfeiçoar nosso caráter de um esforço consciente e contínuo, no sentido de nos desfazermos de maus hábitos e paixões inferiores, transmutando-as em virtudes.

        Neste sentido, a própria Natureza nos oferece uma grande lição, pois quando um ecossistema toma- se impróprio para a vida de determinadas espécies, estas mudam de lugar, se adaptam ou desaparecem. No caso da raça humana, a adaptação a uma vida estressante, como a que hoje vivemos, a tem levado a adaptar-se a um modo de vida onde vemos predominar o individualismo, a insensibilidade, o egoísmo, o desamor, a prisão, etc.

        Apesar de eu não ter elaborado uma tese sobre a importância do meio para o completo desenvolvimento moral-espiritual do homem, nos livros fundamentais de ocultismo, vamos encontrar algumas "dicas" da importância dessa questão, pois somente com um esforço de mudança das atuais condições de vida da maioria da população teremos possibilidade de ver aumentado o número de verdadeiros homens. Penso haver muita confusão quanto a Ocultismo e Magia. Tenhamos um pouco mais de bom senso e verdadeira humildade, e reiniciemos nossos estudos básicos, para que possamos, finalmente, descobrir o que é Ocultismo e Magia.

        Aqui me proponho a colaborar na formação de uma mentalidade mais abrangente e profunda no concernente ao Ocultismo, em seus vários aspectos e derivações.  

        O objetivo principal será orientar aos estudantes desejosos em conhecer o Ocultismo naquilo que apresenta de mais puro, de maneira clara, concisa e objetiva, fugindo dos mistérios e segredos, evitando, logo de início, que eles gastem dinheiro e tempo, adquirindo e estudando obras inadequadas, mentirosas, sem qualquer valor, e cujo lugar mais indicado seria a lata de lixo e não a biblioteca do legítimo estudioso do Oculto. Disse "seria", porque não posso intervir na vontade alheia. Somente posso oferecer algumas pistas para que as pessoas, por si mesmas, tomem suas próprias metas e decisões.

        Em outras palavras quero dizer que o livre arbítrio, do qual tanto e se fala e discute, é um dom nosso ainda não totalmente exercido. Nós abrimos mão dele quando, tolamente, nos entregamos às falsidades e mentiras em todos os ramos da atividade humana, principalmente em se tratando de magia.

        Decidi, então, por começar a discutir os assuntos bem rasteiros. Quebrando inicialmente lendas e preconceitos a respeito da "magia", do uso do Tarot, de cristais, etc. etc.; muito embora reconhecendo que os temas estejam demasiadamente enxertados na mente das pessoas e, por isso, julgando-se ter bastante conhecimento a respeito, não se torna fácil falar sobre uma idéia geral de todas as fases do desenvolvimento no qual as deturpações destes tópicos foram originadas.

        Sendo a Ciência Arcana tremendamente obscurecida pelos autores dela tratando sem conhecê-la bem, o estudante desejoso em penetrar neste campo, deverá desenvolver estudos paralelos a maioria bastante enfadonhos. Portanto, esse meu ensaio carrega a esperança de que seja permitido ao estudioso uma melhor penetração na matéria e perceber a dificuldade de fazê-lo bem para que, ao ler os textos de magia, misticismo, Cabala, etc., tenha uma base para entendê-los mais corretamente, percebendo ser eles um código ocultando aquilo a que realmente se referem.

        Qualquer um pode almejar e alcançar depois de algum esforço pessoal na pesquisa do Ocultismo em geral e da Magia um conteúdo  em particular. Mas poucos compreendem de fato a realidade que na prática se mostra muitas vezes diferentes do enunciado.

        Os mestres vêem o benefício e o valor em tudo, e usam tudo para realizar seu trabalho. São assim sem limites, vivendo com possibilidades ilimitadas em Nuit, e têm o poder criativo de mudar todas as coisas na imagem dourada de sua verdadeira vontade, fazendo todas as coisas harmoniosas, pois tudo que  realizam é uma expressão e uma parte de sua verdadeira natureza, que por sua vez está de encontro a ele ou seu caminho escolhido na vida, e que cada erro e falha, cada imperfeição, cada tribulação, teste e ordália, é mais uma pedra, uma lição e um desafio necessário a quem busca o caminho do sucesso. O sucesso é a totalização de sua vontade. Não um mero objetivo, mas uma maneira de vida. É a maneira do forte! Os mestres sabem que a alegria e a satisfação na vida advém da realização e do sucesso, que é a razão para sua encarnação na terra.

 

E.I.E. Caminhos da Tradição
http://www.cursosdemagia.com.br